Agricultura

Operação Ypanema: seis pessoas são presas por tráfico de drogas em Santana


Fonte: Assessoria

14/10/2020 10h09

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado de Alagoas e a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) desencadearam, nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (14), a operação Ypanema para prender integrantes de uma organização criminosa (Orcrim) especializada em tráfico de drogas, no município sertanejo de Santana do Ipanema. Ao todo, foram cumpridos 15 mandados de prisão e de busca e apreensão, todos expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

Foram presos Fellipe Leandro da Silva, vulgo Sonic, Tayane Wuessilla Ramos Santos Moraes, Ana Flavia Rocha da Silva, José Wueslly Ramos Santos Moraes, uma pessoa identificada como DD e Alan Luiz Azevedo Santos.

Tayane Wuessilla Ramos Santos Moraes é a principal responsável pelo desencadeamento de todas as infrações penais apuradas. Ela assumiu o comando do tráfico após seu marido, Marcelo Celestino da Silva, ter sido preso – ele continua sendo reeeducando do Presídio de Segurança Máxima.

Mayara Santos da Silva e Pedro Henrique Pereira dos Santos Celestino não foram encontrados. Mayara está em Maceió e Pedro em Minas Gerais, mas a polícia local já está em buscas. 

Abaixo, fotos do material apreendido:

O procedimento investigatório criminal (PIC) do Gaeco nº 06/2020, instaurado em conjunto com a 3ª Promotoria de Justiça de Santana do Ipanema, teve início em abril deste ano para desarticular uma organização criminosa com atuação no tráfico de entorpecentes e outros crimes correlatos na cidade de Santana de Ipanema.

O organograma

O PIC também descobriu, de maneira pormenorizada, toda estrutura da organização criminosa, com o seu organograma detalhado com relação a divisão de tarefas desempenhada por cada um dos membros. Fellipe Leandro da Silva, o Sonic, é o gerente e braço direito da líder e sua esposa, Mayara Santos da Silva, auxilia-o na contabilidade da venda da droga comercializada. Pedro Henrique Pereira Santos Celestino é o integrante da organização que tem a função de vendedor, além de ser um dos braços armados da Orcrim.

O homem conhecido como Chico é considerado um dos principais vendedores de drogas da organização criminosa. José Wueslly Santos Moraes é irmão da líder, tem função de vendedor e distribuidor, e ainda auxilia na logística, fazendo o corte do entorpecente, a divisão e a sua posterior distribuição. Já Ana Flávia Rocha da Silva e Luiz têm o papel de aviãozinhos.

As prisões e buscas deferidas

Ao requerer as prisões temporárias de todos os investigados, o Gaeco alegou que “a expressão da criminalidade organizada se efetiva pela propagação do terror (com a perturbação do sossego, da paz e da segurança pública), ostensiva distribuição de material ilícito (a exemplo de armas de fogo e substâncias entorpecentes) e o cometimento de roubos, usando como mecanismo de atuação a divisão territorial, o estabelecimento e apologia de doutrina do terror, códigos e procedimentos rígidos de conduta, teleologicamente orientados, em forma de verdadeira empresa criminosa”. Não foram alvo de prisão o homens identificado como Chico.

O efetivo participante

Para o cumprimento dos mandados durante a operação integrada foram empregados policiais militares do 7º BPM e agentes da 2ª Delegacia Regional, da Polícia Civil.

Todos os presos e materiais apreendidos foram encaminhados para a Delegacia de Santana do Ipanema para a confecção dos procedimentos cabíveis.

A população é grande parceira das forças de segurança no combate ao crime em Alagoas e pode contribuir com o trabalho das polícias realizando denúncias sobre homicídios, tráfico de drogas, roubos, organizações criminosas e outros crimes por meio do Disque Denúncia. As informações podem ser repassadas, de forma anônima e gratuita, por meio de ligações para o 181 ou pelo aplicativo Disque Denúncia, disponível para download na Play Store.



Compartilhe