Alagoas

Abate de animais e comércio de carne são discutidos em Penedo


Fernando Vinicius

27/10/2017 10h26

O abate de animais – principalmente bovinos e suínos – e o comércio de carne destinada ao consumo humano nas feiras livres, mercados públicos e na maioria dos açougues de Penedo estão fora dos padrões estabelecidos para os dois casos.

Exceto nos supermercados e poucos pontos de venda, a carne de gado ou de porco comercializada em Penedo não tem procedência atestada pelos órgãos de inspeção sanitária. O problema de saúde pública ocorre desde maio de 2014, quando o matadouro público municipal foi fechado.

Interditado durante visita da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI), representantes do Instituto do Meio Ambiente (IMA) e da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) constataram irregularidades no local que jamais será reativado, mesmo que tudo estivesse funcionando perfeitamente.

Além do lançamento de efluentes em leito que desemboca no Rio São Francisco, problema que poderia ser resolvido, a impossibilidade de reabertura do matadouro de Penedo está na proibição de moradias próximas de qualquer matadouro. E foi justamente a instalação do local de abate, inaugurado em meados dos anos 1970 que surgiu um bairro, o Santa Cecília, não por acaso conhecido como Matadouro.

 

FRIMATO

Mesmo sem dispor do local há mais de 3 anos e seis meses, marchantes e comerciantes de gado do município onde houve o último registro de febre aftosa em Alagoas, isso em 1999, continuam fornecendo carne para açougues e comerciantes que trabalham em mercados públicos municipais. O trabalho levanta a suspeita de abate clandestino em Penedo, situação que gera piadas em cima do nome da famosa marca Friboi, adaptada para Frimato.

 Para evitar que parte da população continue submetida ao risco de contrair doenças causadas pela falta de higiene, seja por conta do abate de animais de forma inadequada ou o manuseio das peças em ambientes que atentam contra as normas de vigilância sanitária, a Prefeitura de Penedo prepara uma proposta que pode colocar um fim nessa situação.

 

AUDIÊNCIA PÚBLICA

O tema, que já rendeu muita polêmica na cidade ribeirinha, voltará a ser discutido na próxima terça-feira (31), durante audiência pública que acontece na Câmara de Vereadores a partir das 9 horas, com presença de representante do Ministério Público Estadual, promotor Kleber Valadares, conforme anuncia a Prefeitura de Penedo.

A reportagem do Jornal de Arapiraca manteve contato com o secretário Municipal de Agricultura, Manoel Messias Lima, e apurou que o governo vai propor a formalização de uma Parceria Público Privada para solucionar a questão.

 

FRIGOVALE

De acordo com o gestor da pasta, a prefeitura está em negociação com a FrigoVale, empresa inaugurada em Arapiraca em fevereiro do ano passado e atualmente responsável por atender 27 municípios alagoanos.  “Nós estamos nos preparando para ser o 28º; a negociação está praticamente fechada; já comunicamos ao Ministério Público e estamos conversando com marchantes e feirantes”, informou o servidor aposentado da Embrapa e ex-vereador.

 

ASSOCIAÇÃO

Sempre incisivo em suas cobranças sobre o que é de responsabilidade do serviço público, Messias Lima – mais conhecido em Penedo como Messias da Filó por conta de sua gestão no Clube Filarmônica -, adianta que proprietários de rebanho bovino e marchantes deverão formar uma associação para representa-los na proposta que tem viabilidade econômica, segundo afirmou.

 “Também havia a possiblidade de fazer o abate em Campo Alegre, mas a melhor saída é a empresa de Arapiraca. Os matadouros públicos de Igreja Nova e de Coruripe não têm o selo de inspeção estadual; então não podem abater gado de outros municípios”, explica o gestor que assumiu a pasta no início deste mês.

Messias Lima acrescentou ainda que a prefeitura vai se adequar às normas, preparando-se para ter o Selo de Inspeção Municipal. Ele adiantou também que o mercado público da carne localizado no centro comercial da cidade será reformado, obra com projeto adiantado, e que a maior feira livre de Penedo será, finalmente, readequada aos padrões mínimos de higiene e de organização.

Foto: Fernando Vinicius


Compartilhe