Qual o interesse do PT no apoio a esse novo "amiguinho"


Blog

27/11/2017 18h57

 
Mais uma vez somos todos surpreendidos por esse partido que já foi, num passado bem recente, o verdadeiro sinônimo da oposição, honestidade e respeito partidário e respeitado por todos os brasileiros. Se dizendo vítima de um golpe, o PT – quem diria -  virou protetor de um de seus maiores algozes, e agora novo amiguinho. Posso garantir que ao contrário do que a imprensa marrom divulga, não foi o STF que adotou uma "medida esdrúxula", mas sim a comprometida e não menos indecente direção do PT que está sendo conivente pelo imoral desfile de erros que vem cometendo onde essa mesma direção adota posições no mínimo constrangedoras não só contra a vontade da maioria da sua militância, da sua base social e do seu eleitorado, mas também contra o que se imagina ser o correto nesta medíocre Constituição.
É bastante estranho quando nos deparamos com uma nota da direção do PT que condena o afastamento do Sr. Senador alegando que tal ato é um verdadeiro equívoco, político, moral e jurídico. olha minha gente, não faz muito tempo, tínhamos orgulho de colocar a estrela do PT no peito e sair pelas ruas com a certeza de que éramos observados com respeito e principalmente com a certeza de que ali se encontrava um companheiro que estaria prestes a tentar, e muitas vezes conseguir, solucionar diversos tipos de questões trabalhistas.    
Meu amigo, está escrito lá no papel do livrinho verde, amarelo e branco que é passível de perda de mandato o deputado ou senador que violar as vedações estabelecidas no Artigo 54; aquele que incorrer na quebra de decoro parlamentar (Art. 55 -II; aquele que deixar de comparecer à terça parte das sessões plenárias e aquele que sofrer condenação transitada em julgado. Em caso de prisão, em flagrante crime inafiançável, de um deputado ou senador, os autos serão remetidos à respectiva Casa, conforme define o Artigo 32, parágrafo 2, que se pronunciará pela maioria de seus membros sobre o caso.
Sendo assim, o STF em momento algum, feriu nada daquilo que a Constituição estabelece acerca da inviolabilidade do mandato. Ele decidiu sobre uma figura que não existe na Constituição. Em sendo o STF um tribunal constitucional e dada a gravidade dos delitos do agora “amiguinho” do PT, o Tribunal tem como de direito a prerrogativa de decidir sobre uma lacuna constitucional para salvaguardar o interesse público – que nessa porcaria de província é o que menos tem importância -  e impedir a desmoralização ainda maior do Senado, que, aqui pra nós, já está sendo considerada uma instituição profundamente desmoralizada.
Estamos presenciando neste momento a já muito conhecida e utilizada, razão dos dois pesos e “uma” medida, pois tivemos o caso recente de um famoso e polemico deputado, que também foi afastado de seu mandato por uma decisão do STF e ao que consta, não houve, naquela ocasião, nenhum protesto dessa direção tendenciosa do PT. E por que agora? Qual a razão dessa preocupação em salvar esse cidadão?
É muito decepcionante quando percebemos que toda aquela instituição de respeito que antes era o PT passou, de uma noite para o dia, a se nivelar com essas desgraças que hoje assolam o pais. Meus amigos, essa nota do PT simplesmente vai contra o espírito da Constituição e contra o sentimento geral da soberania popular, da sociedade brasileira, dos eleitores e militantes do partido que assim como eu já não tem mais em quem acreditar. A famigerada nota afirma ainda que os seus “representantes” tem todos os motivos para defender a democracia e a Constituição. Então, mói de corruptos, tenham vergonha na cara lisa e defendam o afastamento desse cidadão.
Não quero estar vivo para em breve ter que assistir através desta imprensa totalmente comprometida o triste episódio do PT pedindo desculpas ao Presidente e a todos que fazem parte da mesma corriola, e alegando que tais atitudes antes impetradas feriram e constituiu um violento ataque à democracia e à Constituição.



Compartilhe
comentários