Alagoas não é tão pequena como nos fazem acreditar!


Carlo Bandeira

06/05/2016 11h52

Alagoas não é tão pequena como nos fazem acreditar!

Marcello Lavenère  Machado, nascido em Maceió, Alagoas, é mais um Alagoano que se destaca no cenário nacional, dentre tantas outras personalidades.

Este; ex- presidente da Ordem dos Advogados do Brasil e Membro Honorário Vitalício do Conselho Federal, da mesma, apresentou as exposições de motivos para o impedimento do Presidente Collor de Melo, à época, ao então Presidente da Câmara dos Deputados, Ibsen Pinheiro.

Hoje, convidado pela Base do Governo, para dissertar sua tese jurídica na Comissão do Senado, que analisa o impedimento da Presidenta Dilma, revela não haver crime de responsabilidade nem material, tampouco formal, da Chefa do Executivo Nacional.

Explicadamente, ainda  expõe as razões dicotômicas entre as narrativas de Impedimento de Collor e Dilma; “O Presidente Collor, Deparou-se com as denúncias fraticidas de  Pedro Collor, seu irmão consanguíneo”. E, Que falou sobre um governo paralelo, em benefício do Presidente, comandado por Paulo Cesar Farias. Ao final, o impedimento fora recebido e acatado, pelo Congresso.

Já com a Dilma, a denúncia aceita, habilitou-se por um grupo político e por causas políticas, e não, causas preconizadas pela Constituição. Além do mais, as pessoas que gozam do privilégio de serem réus, resultado das investigações da Polícia do Governo Dilma, são, justamente, as denunciantes.

Ele, o Marcello Lavenère,  Em entrevista recente, afirma que a OAB não entendeu a decisão do Concelho Federal, e contra boa parte dos Advogados do Brasil, declarou apoio ao impedimento  da Presidenta; “Em minha opinião, a OAB se igualou aos golpistas, devendo ser imputado ao órgão, o desgoverno subsequente, caso o impedimento seja confirmado”.

Prolata, ainda; “o vice-presidente de Collor, Itamar Franco, manteve-se afastado. Não emitindo qualquer julgamento de valor. E, Quando assumiu a presidência, manteve a política vigente,  e  boa parte dos Entes Públicos nomeados por Collor”.

Dr. Lavenère, sem suscitar o caso concreto atual, nos levou ao entendimento;  que o presente Vice, não só exigiu o rompimento, isso depois das  benesses, como já está montando a sua equipe de governo. Vale a pena lembrar, que o nosso impoluto vice-presidente está pronunciado, também; lá, lá num tal de STF, Supremo Tribunal Federal. E que está pedindo, através do Ministro Marco Aurélio Mello, o impedimento de Quem? Pasmem ou não! Do Michel Temer. O próprio; o Nosso Temido Temer.

Mesmo com a clara tendência de aceitação do impedimento, pelo Senado, o Dr. Marcello Lavenère, coloca-nos a pensar, mesmo sem a devida intenção!

O pensamento pensado; “A nossa República teve um contorno Alagoano: Marechal Deodoro. O segundo momento também, com Floriano”. Depois, a hegemonia “Dom Quixotiana”, do Menestrel das Alagoas. A seguir, já em 1991, fizemos o terceiro Presidente da República. Ele mesmo, Fernando Collor de Melo. Logo após, quase emplacamos outro  vice-presidente, na campanha de 1994, Guilherme Palmeira, subitamente nomeado para o TCU, deixando Livre, o caminho para o Marco Maciel, que viria a ser o vice-presidente do FHC.

Eu me pergunto, todos os dias;  como posso me considerar pequeno. Decidindo, tanto, os destinos da Nação.

Será que “as Alagoas” dos Marechais, é tão pequena, como nos tentam fazer acreditar as babás da nossa estimada e igualitária elite?...

Dr. Marcello Lavenère, obrigado pelos seu ensinamentos. Obrigado por não nos deixar esquecer, que alagoas, traz na sua veia, a história do nosso povo, do povo brasileiro.

 

Foto: O Globo



Compartilhe
comentários