FILME - novo disco da cantora Cris Braun, junto com Dinho Zampier


Janu

04/08/2017 13h26

Depois da fábula, o filme. Em 2015, a cantora Cris Braun (cantora e compositora gaúcha radicada em Maceió) pensava em realizar um novo álbum, o quarto de sua carreira solo — o anterior, Fábula, saíra em 2012. Convidou o tecladista, produtor e arranjador Dinho Zampier para a empreitada, que acabou mudando de rumos: surgia ali Filme, projeto de Cris e Dinho que é uma trilha sonora imaginária para um filme que não existe.


“O desejo de compor uma trilha sonora foi o ponto de partida. E, como não havia nem haverá o filme, usamos a narrativa musical-sonora como fio condutor, e não uma história ou roteiro de texto. O que, por outro lado, nos deu bastante liberdade para imaginar e permitir que o ouvinte também imagine a história que quiser”, explica a cantora.


A trama que a dupla conta está nas entrelinhas dos climas das vinhetas e dos temas destes personagens imaginários. E esses climas são criados em gêneros variados que passam por psicodelias setentistas, jazz, pop futurista, folk e ritmos nordestinos. “Ninguém sabe se é uma história, um sonho ou um delírio”, instiga Cris Braun.


Com 11 faixas, o disco teve nove músicas compostas especialmente para ele, com exceção de “Escorpiões”, de Alvin L, do repertório dos Sex Beatles (banda cult do anos 90, onde Cris era vocalista) e “Sento in seno ch'in pioggia di lagrime “, releitura a la Dave Brubeck de uma ária da ópera Tieteberga, de Antonio Vivaldi. Uma espécie de ensaio aberto em Maceió, no fim de 2016, deu uma prévia do que seria o trabalho.


O disco foi produzido por Cris Braun e Dinho Zampier, que também ficou responsável pelos teclados e programações. Amigos de longa data, os músicos e produtores Sacha Amback e Billy Brandão foram convidados para produzir uma faixa cada: “Harpia” e “Cheio”, respectivamente. O trabalho ainda contou com Toni Augusto (guitarras, violão e guitarlele), Ykson Nascimento (baixo), Thiago Herculano (violino), Alisson Paz (bateria) e Walter Costa (programações adicionais).


CIRCUITO MUSICAL DO SESC TRAZ GRUPOS DE COCO DE RODA A ALAGOAS

FOTO 2

Em sua 20ª edição, o projeto Sonora Brasil chega a Alagoas com o tema “Na pisada dos cocos”. Os grupos Coco de Iguape (CE), Coco de Zambê (RN), Samba de Pareia (SE) e Coco de Tebei (PE) se apresentam entre os dias 14 a 18 de agosto em Maceió e Arapiraca. Além deles, manifestações locais, palestras e oficinas fazem parte da programação do festival. A entrada para todos os eventos é gratuita.


As apresentações e palestras dividem-se entre as Unidades Sesc Poço e Arapiraca. Já no Espaço Cultural da UFAL, localizado na praça Sinimbu, haverá condução de oficinas com o ministrante Jurandir Bozo. As palestras ficam por conta de professores e estudiosos das manifestações populares do estado. As inscrições para os cursos podem ser feitas na Coordenação de Cultura (CARC), na Unidade de Cultura Sesc Centro.


O projeto Sonora Brasil é uma iniciativa do Sesc que leva ritmos, formações e repertórios de gêneros pouco difundidos para todo o país. A difusão de manifestações autênticas e tradicionais é a maior característica do projeto, que além de propiciar ao público a oportunidade de apreciar o fazer artístico desses grupos, abre espaço para a perpetuação destas formas de expressão.


A realização desses eventos em Alagoas possui a parceria da Rede Sociocriativa de Coco de Roda.



ARAPIRACA

Dia 14/08

Apresentação: Coco de Zambê (RN)

Grupo local convidado: Coco de Roda Coroca

Hora: 19h30

Local: Praça Higino Vital,Canafístula – Arapiraca



Dia 15/08

Apresentação: Coco de Iguape (CE)

Grupo local convidado: Grupolocal convidado: Coco de Roda Coroca

Hora: 19h30

Local: Praça Higino Vital,Canafístula – Arapiraca





Compartilhe
comentários