Andrea Bocelli e Maria Rita, muito obrigado meu Deus


Marcio Santana

03/10/2018 18h19

 

 

Era domingo em São Paulo, 29 de setembro, muita chuva momentos antes do mais esperado show do ano, um público verdadeiramente brasileiro, potiguares, gaúchos, cariocas, paraibanos, “alagoanos”, capixabas enfim, uma verdadeira e “educada” plateia de mais de 45 mil pessoas lotava aquele que seria o local de apresentação de um dos mais brilhantes tenores do mundo. Com ele a voz cativante e melindrosa de Maria Rita que em perfeita sintonia com a do grande tenor parecia até que já cantavam juntos há muitos anos.  

Mesmo com ingressos chegando a R$ 1.800, uma verdadeira multidão teve o grande privilégio de participar de um momento único, daqueles que quando acaba você tem a sensação de que agora realmente não falta mais nada na sua vida.

Maravilhosamente carismático, Bocelli apresentou um lindo recital onde conseguiu, apagar de uma vez por toda, aquela lamentável interpretação de “cantoras” de anos atrás.

Embora ainda estivesse caindo uma fina garoa, o show começou pontualmente no horário anunciado, e todos foram surpreendidos (presenteados), com uma magnífica apresentação de “O Guarani”, a partir daí foi uma extraordinária sequência de sucessos e interpretações revezadas entre ele, a soprano Larissa Martinez e a estonteante Maria Rita.

Com uma estrutura de primeiro mundo, um excelente som, o Allianz Parque (Palmeiras), se transformou em um gigantesco teatro a céu aberto, onde quem ali esteve podia perceber até um certo desconforto devido talvez, a distância que alguns setores separava do artista, porem nada que viesse a atrapalhar, ou mesmo gerar algum tipo de crítica.

 



Compartilhe
comentários