CSA na série A, Alagoas em festa


Marcio Santana

07/12/2018 18h59

 

Para começo de conversa, todos sabem da minha “paixão” pelo CRB, é um sentimento que as vezes me deixa até com dúvidas à respeito do merecimento do mesmo, porém o que está acontecendo neste momento no futebol alagoano é algo simplesmente maravilhoso, motivo de orgulho para todos, independentemente de o fato ser consumado ou não, ou seja, mesmo que o Centro Sportivo Alagoano não consiga subir para a série A, essa campanha brilhante que vem realizando sem duvida alguma já pode ser considerada a mais clara definição de superação e organização já vista dentro do futebol alagoano.

Atual vice-líder do Brasileiro da Série B e vivendo um ótimo momento, o CSA é um dos principais destaques do futebol nacional nesse ano e elogiadíssimo pela imprensa brasileira. Depois de 20 anos de sofrimento, crises internas etc., o CSA voltou a participar de uma série B, foi campeão da série C, campeão alagoano após 10 anos, enfim, uma evolução que tem que ser respeitada e admirada ate mesmo pelos seus rivais alagoanos.

Lembro-me bem dos anos em que o time marujo passou por diversas dificuldades no campeonato alagoano, sendo rebaixado, sem patrocínio, muitos problemas jurídicos. Mesmo assim, graças a um desafio aceito pela atual diretoria que nunca mediu esforços para colocar o time no lugar que merece, o time teve uma evolução muito grande e hoje está colhendo os frutos de uma brilhante administração.

Parabéns a nação azulina, a sua diretoria, aos jogadores guerreiros que sempre se doaram totalmente ao projeto, fazendo com que o grande sonho enfim pudesse ser realizado. O CSA na série A é sinônimo de receita não só para o clube, mas também para o estado, que apesar de não incentivar o esporte (nem uma porra de um placar eletrônico se interessa em colocar no Estádio), vai poder arrecadar impostos, é a certeza de casa cheia como tem sido uma constante nos jogos com mando de campo, e ai, tem todo um comércio que precisa desse movimento no entorno e dentro do “Trapichão”..

Só um castigo muito grande, ou alguma “arrumação” dos cartolas, para o CSA não conseguir o acesso, vamos todos continuar com essa corrente de otimismo, repito sou regatiano, mas posso garantir que vou ficar bastante feliz de presenciar e participar deste momento de gloria azulina.

É uma pena que pelo andar da carruagem, e diante da péssima campanha que o CRB está fazendo, com certeza não irei assistir o meu Vasco jogar no ano que vem no “Trapichão”, pois tudo leva a crer que ambos serão rebaixados.

Nunca tive problema algum – diferentemente de muitos colegas - em manifestar o meu time de coração, porém, se acharem por bem me criticar que assim o façam, pois até mesmo o mais fanático repórter ou jornalista azulino jamais poderia imaginar estar vivendo momento tão exuberante e lindo, algo vivido por nós regatianos durante anos. 



Compartilhe
comentários