Motociclistas e (ou) delinquentes


Márcio Santana

26/07/2017 19h13

 

Falo por experiência própria, ser Motociclista é uma aventura prazerosa, que certamente é diferente de tudo o quanto se possa imaginar. Andar de moto principalmente viajando, é uma liberdade, uma expressão, um sentimento inigualável. Quando subimos em uma dessas máquinas, simplesmente nada se passa em nossas cabeças, a não ser sentirmos livres. Viajar em grupo ou mesmo só, sentindo a chuva, o vento, e perceber que é exatamente isso o que você quer, realmente não há nada que pague, é a natureza e seus elementos envolvendo a nossa alma, são emoções que gostaríamos que todos pudessem sentir.

Porém, como nada neste mundo de meu Deus é perfeito, tinha que ser o mísero elemento ser humano, a desgraça capaz de modificar todo este esplendor. Refiro-me a grupos formados por verdadeiros marginais metidos a Playboys que entendem que pelo fato de ostentarem suas poderosíssimas maquinas, possuem o direito de promoverem verdadeiro desrespeito à comunidade quando, em todos os finais de semana, em bandos, insistem em acabar com o sossego de todos, com seus barulhentos escapamentos que mais parecem uma rajada de metralhadora.

Imagino que assim como eu, que moro aqui na Jatiuca, e tenho em casa minha mãe doente de Alzheimer, que por sinal todos as madrugadas dos finais de semana se apavora com os ataques covardes desses marginais inescrupulosos, existem pessoas que passam pelo mesmo problema, não só aqui em Maceió como também em diversas cidades do interior onde sempre atuam.

Mais uma vez me vem à lembrança meu grande amigo Mané, que Deus o tenha em bom lugar, que sempre que presenciava tal situação, na mesma hora, com toda sua simplicidade, dizia logo, “esse corno usa esse barulho, que é para quando chegar na esquina da sua casa (do marginal), se utilizar do mesmo para avisar o pé de lã que já está chegando”.

Infelizmente, pelo que pude pesquisar, aqui nessa província chamada Brasil, se em uma blitz, um delinquente desses for pego, o máximo que pode acontecer é perder 5 pontos na carteira, e pagar uma multa de pouco mais de R$ 120,00, além de ter que providenciar a colocação do miolo do escapamento ou o silenciador ali mesmo no local da operação, sob pena de ter a motocicleta recolhida ao deposito do Detran.

   

 



Compartilhe
comentários