O “mala” dos desabrigados


Márcio Santana

11/06/2017 19h28

 

O presidente Temer esteve em Alagoas no último domingo (28) e como um “grande Presidente ilegítimo” que é, lamentou profundamente as mortes causadas pelas enchentes e imediatamente anunciou ajuda para todos os municípios atingidos pelas cheias, porém, diferentemente do que fez em Pernambuco onde garantiu recursos na ordem de 600 milhões de reais, não definiu os valores que seriam destinados a Alagoas o que para mim é muito estranho, espero que eu esteja enganado, mas tenho quase certeza do real motivo.

De acordo com a “maior” autoridade do País, que por sinal não me representa, serão liberados recursos. “Para isso estivemos aqui e, com o decreto de emergência já estabelecido, podemos fazer isso. Os valores não temos ainda. Precisamos verificar quais os danos e o que é preciso fazer.

Duas coisas me chamaram atenção nesta misericordiosa visita, a primeira diz respeito ao fato da “autoridade” sair do aeroporto e ir direto para dentro do quartel do exército, talvez, por ter sido uma visitinha surpresa não tenha dado tempo do governador arrumar a recepção no palácio. A segunda é em relação ao fato dele não ter divulgado “valores” da tal ajuda humanitária.

Eu até entendo que num momento em que “seu ilegítimo governo” enfrenta grave crise em razão das delações de dirigentes do grupo JBS, não fosse esse realmente o momento propício para ele colocar à prova sua popularidade aqui em Alagoas.

Não é desconfiando, mas seria muito importante que esse dinheiro destinado às vítimas das chuvas em Alagoas fosse transportado, se é que ele vem mesmo, em malas com cédulas marcadas com o número de série da Casa da Moeda, com chip localizador para rastreamento. Com a quantidade certa de dinheiro e não faltando como naquela outra, e escoltada por agentes federais, Exército, Marinha e Aeronáutica.

 

 



Compartilhe
comentários