O “parasita” da hora


Marcio Santana

09/12/2019 06h49

 

Os exemplos não param de acontecer. As tragédias ditam as suas regras. Os mesquinhos de coração teimam em suas idiotices. Os peçonhentos monstros do capitalismo insistem em querer sempre mais, mesmo que para isso tenham que interromper simples sonhos de pessoas normais e esperançosas.

Não se iludam. Nessa passagem exitosa que muitos acham ser de grande valor por essa vida, não seria demais, nem tampouco exagero, imaginar que, mesmo com as dificuldades inerentes e escrotas que sempre aparecem em nossas vidas, ainda existe, em curtíssimo tamanho, a tal da esperança incalculável dos menos favorecidos e verdadeiros heróis da realidade.

Quando observamos as atitudes, os desrespeitos, os covardes conflitos sociais e as permanentes desvalorizações do caráter do ser humano, é que percebemos o quanto somos egoístas, canalhas e cumplices com tudo o que de pior acontece em nossa volta.

Os marcantes casos de tragédias familiares, sociais, políticas e principalmente “morais”, fazem, certamente, a gente refletir sobre o que fazemos para tentar mudar esse quadro. É a ganância de querer sempre ter o que não pode. É o famigerado e doentio “olho de jiboia”, que enciste em se fazer presente, em quase todas as atitudes do fraco de caráter. É a agonia de ver o vizinho chegando com um carro novo, mesmo sabendo que ele tem uma condição financeira muito superior a sua e trabalhou para isso, enfim, é a sua desqualificação humana diante do materialismo.

Meu amigo, assim como as mulheres fazem quando estão realizando o autoexame da mama,  faça você também,  através de um pequeno exame de consciência, uma limpeza em seu coração, jogue todas as mazelas na privada, dê a devida descarga, e mesmo que ainda reste aquele velho boiador, que insiste em não descer, tente várias vezes até conseguir o grande sucesso da sua vida. Caia em campo cabra macho. Determine um objetivo. Não passe, com a ajuda da safadeza e a pouca vergonha, por cima de ninguém, aceite as derrotas e não deixe de correr atrás de seus sonhos, mas faça isso honestamente.

As vezes, a gente tem tudo o que precisa, e mesmo assim, por pura ganância/inveja, termina cometendo erros sem precedentes, erros esses, que podem gerar um problema muitas vezes sem solução. Se no momento você só está podendo comer pão com mortadela, pois então cama, não invente de querer ir para o rodízio da churrascaria apenas pelo simples fato dos seus colegas irem. Tenha a devida vergonha na cara, aceite a sua humilde situação e baixe o facho.

Bem que poderia aqui, direcionar esse artigo a alguém que conheço. Mas como no momento ando bastante calmo e de bem com a vida, prefiro apenas desejar coisas boas e muita energia positiva, até porque, nesse caso o elemento em evidência, representa, além dele, milhares de parasitas e incompetentes que teimam em querer ser o que não podem e não procuram de maneira correta uma melhora na vida. Mas, no entanto, prefiro diante de tão baixo exemplo, esperar que o infalível exame de consciência faça a sua parte.



Compartilhe
comentários