Que bodega é essa?


Marcio Santana

28/09/2019 09h52

 

Se levarmos em consideração o desagrado total de seus colaboradores. Os constantes episódios de falta de conhecimento de causa. O eterno autoritarismo. Os constantes casos de perseguição funcional, enfim, os vários exemplos de incompetência administrativa, realmente não tem como esperar nada de bom, por parte desse escalão superior, que insiste em ser ridículo medíocre e covarde.

Quem se importaria com tantos problemas, se não tirasse proveito deles? Quem transferiria um grande funcionário de um setor que lhe só trazia bons resultados, pelo simples fato de uma sugestão correta. Quem acharia normal, deixar de receber recursos vindos do exterior para serem investidos na sua empresa, quando todos nós sabemos que a situação atual não permite ao menos pestanejar.

Meu amigo, o cumulo do idiotismo é achar que uma linha administrativa de uma instituição se resume apenas em momentos atuais, nunca será possível ter um futuro digno, se no presente você apenas for mais um e não um coletivo. Quando você faz um pronunciamento para seus colaboradores, é preciso entender que naquele instante, o tal comunicado significa o possível sucesso do futuro, e não a desgraça do momento.

A humildade e a clareza dos fatos nunca, em momento algum, causaram ou vão causar preocupação para uma equipe, principalmente se esta se encontra em perfeita harmonia com o quadro superior. Errar será sempre normal, para um elemento sem postura, ideais, capacidade e acima de tudo respeito.  Colocar um leigo para resolver os problemas de um setor de relevante importância em uma instituição, é mesmo que sacudir uma raposa dentro de um galinheiro e esperar que a mesma separe as fêmeas dos machos.

Não é possível, hoje em dia, um administrador que possua o mínimo do senso de ridículo, não perceber o quanto hipócrita e irracional está sendo a sua gestão. Não perceba que no mundo atual, temos que criar parcerias e não distanciamento por atitudes mesquinhas e sem fundamentos.

Vários são os exemplos de instituições que sempre foram verdadeiras potencias no mundo e que simplesmente “quebraram” devido às péssimas administrações de herdeiros bicudos e incompetentes, resta agora saber se o “diretor” tão esperado, e tido como o salvador da pátria amada, desta instituição, vai finalmente começar a mostrar um serviço dinâmico, coeso, relevante ou vai ser apenas mais um fracassado, sem conhecimento de nada,  que foi indicado ao cargo, apenas por ser filho do primo do cunhado da sogra do tio do irmão de uma grande amiga de infância.   



Compartilhe
comentários