Sorriso como Expressão Corporal


Psicóloga Valdenice Guimarães

05/12/2017 05h30

Sorriso e expressão corporal são como uma linguagem, como uma maneira de falar. Nos comunicamos com o corpo, e quando prestamos atenção nos gestos emitidos pelas pessoas, temos um melhor entendimento dos outros e do mundo ao nosso redor.

À medida que reagimos, a postura do nosso corpo muda em relação às situações ao nosso redor. Pela linguagem do corpo, falamos muitas coisas às outras pessoas e também interpretamos o que os outros querem dizer para nós. Seja a maneira que gesticulamos com as mãos, a maneira que expressamos com o nosso rosto, que posicionamos nosso corpo, tudo isso faz parte da linguagem corporal.

O sorriso é um elemento bastante interessante de ser analisado nesse processo de comunicação.

Ele desempenha a função de comunicação e tem como função informar ou sinalizar prováveis comportamentos que exibe, servindo como informação de modo antecipado de comportamentos e reações permitindo a aproximação de alguém.

Os seres humanos apresentam um sorriso para demonstrar ao outro que não somos ameaçadores. Desse modo, nos comportamos para sinalizar que estamos disponíveis e interessados, especialmente nas relações de conquistas amorosas.

O sorriso utilizado como ferramenta de conquistas abre espaços, sinalizando um excelente perfil para outros indivíduos.

O sorrir, tanto em bebês como em adultos, é uma forma de expressão facial amplamente associada na literatura científica como manifestação de emoção, afeto, prazer, alegria e felicidade.

O comportamento tem função adaptativa, ou seja, fatores filogenéticos e ambientais interagem e exercem efeitos sobre aspectos comportamentais dos sujeitos.

Muitos estudos buscam compreender a origem do sorriso; se é uma habilidade inata ou adquirida, ou seja, se é genética ou se é possível afirmar que é um processo de aprendizagem.

O que parece, a partir de estudos científicos é que em parte parece ser filogenético, pois bebês recém-nascidos parecem prestar atenção em estímulos complexos, como as expressões faciais dos pais, em detrimento da face de pessoas mais distantes. Mais que isso, os recém-nascidos reconhecem a face da mãe e do pai, diferenciando de uma pessoa estranha.

Veja, ao discriminar as expressões faciais dos pais, esse comportamento tem valor de sobrevivência.

Por outro lado, as pessoas podem aprimorar o comportamento de sorrir, pois ele, quando bem treinado trás muitos benefícios às pessoas, auxiliando-as em vários momentos da sua vida, como na aquisição e manutenção de um trabalho, de um relacionamento amoroso e no aumento do círculo de amigos.

Todo comportamento, incluindo as expressões faciais e dentre elas o sorriso, é resultado de uma interação complexa entre o organismo e o ambiente. Essa dinâmica torna as variáveis envolvidas indissociáveis, pois estão postas para facilitar a sobrevivência dos indivíduos, já que fazem parte da comunicação entre as pessoas. Tudo isso exprime a maneira como estamos nos sentindo, a maneira como estamos passando por um determinado momento da vida; se feliz, triste, harmonioso ou conflituoso. Essa mensagem, tanto passamos como recebemos através de gestos, expressões e sorrisos, por isso, somos propensos a nos aproximar de pessoas sorridentes.



Compartilhe
comentários