Casos de diarreia


Roberto Baia

12/12/2017 11h41

Com Igor Castro: Após as chuvas que caíram em outubro, aumentando os atendimentos ambulatoriais em casos de diarreia, o Hospital Regional, que tem como provedor Geraldo Magela Pirauá, recomenda à população cuidados para o período de dezembro e início de janeiro.

Comparado ao mês anterior, novembro apresentou queda no número de casos, mas segundo a coordenadora de Epidemiologia da instituição, Nelva Rubia, a vigilância tem que ser permanente.

Água não tratada

“Infelizmente a população ainda bebe água não tratada e que vem diretamente de cacimbas. Isso tudo acarreta em doenças”, argumentou.

No Hospital Regional de Arapiraca, que atende a diversos municípios da região, é comum pacientes chegarem com sintomas de diarreia, vômitos e dores abdominais decorrentes de ingestão de água contaminada.

Médico orienta

Para o médico Adailton Leão, a prevenção é simples: acesso à água tratada, filtrada e/ou fervida para evitar os problemas. “Água é um líquido precioso e vital para a vida, mas ela também traz doenças quando não é limpa”, falou.

Preocupante

Este ano, 88 pacientes já foram internados, precisando de medicação venosa, entre outros procedimentos. Ainda segundo a coordenadora do Regional, as secretarias municipais são avisadas quando há aumento nos casos, afim de que possam tomar as medidas necessárias, como uso de hipoclorito de sódio nas caixas de água das residências.

“Esse é um trabalho fundamental que os agentes de saúde fazem e que tem grande importância para a redução dos problemas”, acrescentou.

Geraldo Magela

Para o Provedor Geraldo Magela, a divulgação dos dados é necessária para que a população tenha conhecimento do trabalho realizado no Hospital, mas sobretudo, para que as pessoas tomem suas precauções.

“Beber água parece ser um ato tão simples e necessário aos seres vivos. Mas todos têm que ter cuidados adicionais para que, matar a sede, não traga riscos à saúde”, comentou.

No período das chuvas, que compreende os meses de maio a junho, o Regional chegou a ultrapassar os três mil atendimentos.

Salário e 13º

O prefeito Júlio Cezar anunciou ontem (11), a liberação do pagamento do servidor público efetivo de Palmeira dos Índios, referente ao 13º salário. Com isso, o governo encerra o compromisso com essa parcela do salário do funcionário da prefeitura. Júlio Cezar também falou que o salário unificado, referente a dezembro, também será feito dentro do mês trabalhado para todos os efetivos, comissionados, contratados, aposentados e pensionistas.

Não é fácil

Para Júlio Cezar, administrar um município como Palmeira não é fácil. Mas com vontade e gestão é possível manter os compromissos em dia e, principalmente, o salário do servidor.

“O primeiro ano da nossa gestão não foi fácil. Se conseguimos atravessar este ano, apesar das dificuldades, chegaremos em 2018 com um pouco mais de fôlego. Conseguimos tirar o município do Cauc, que é a lista dos municípios devedores, trabalhando dentro das metas fiscais. Este ano, o pai de família não vai dizer que não vai fazer a ceia de Natal ou de Ano Novo porque o salário não saiu”, afirmou o prefeito.

Meta audaciosa

E continuou. “O governo lançou a meta fiscal, que é liquidar o ano e zerar as contas, com salários e décimo terceiro em dia. É uma meta audaciosa em tempos de crise, mas se conseguirmos ser eficientes, do ponto de vista técnico, graças à nossa equipe, que tem trabalhado muito para que isso acontecesse. Com planejamento, colocando as despesas dentro da receita, mesmo em tempos de crise, é possível a gente fazer muito mais”, finalizou o prefeito Júlio Cezar.

São Miguel

O trabalho do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) na defesa dos recursos naturais resultou numa importante conquista: a criação de uma nova Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), tipo de unidade de conservação criada em propriedade privada, de acordo com a vontade do seu dono, e que tem crescido bastante em números aqui no estado graças à intervenção do MPE/AL. A mais nova reserva está

localizada no município de São Miguel dos Campos e fará parte do Mosaico de RPPNs do Litoral Sul.

Compensação ambiental

Foi por meio de um termo de ajustamento de conduta para compensação ambiental que a RPPN do Grupo Luiz Jatobá foi idealizada, após sugestão da 5ª Promotoria de Justiça da Capital, que possui atribuições judiciais e extrajudiciais de defesa dos recursos hídricos e das bacias hidrográficas do Estado de Alagoas. Ela integrará o Mosaico de RPPNs do Litoral Sul, que será formado ainda por outras sete reservas, passando pelos municípios de Marechal Deodoro, Barra de São Miguel e São Miguel dos Campos, numa extensão de 971 hectares.

… Todas essas unidades de conservação de domínio privado ficam em territórios pertencentes à Usina Roçadinho (Grupo Mendo Sampaio, detentor de quatro RPPNs), Usina Sumaúma (Grupo Toledo, detentor de duas RPPNs), Usina Caeté (Grupo Carlos Lyra, detentor de uma RPPN) e Grupo Luiz Jatobá, detentor de uma RPPN.

… De acordo com a promotora de justiça Lavínia Fragoso, da 5ª Promotoria de Justiça, as RPPNs têm funções muito importantes na natureza, a exemplo da proteção de rios, riachos e nascentes, a recomposição da mata ciliar desses recursos hídricos, a criação de corredores ecológicos para os animais e, ainda, a disseminação de sementes, o que acaba por incentivar a perpetuação da fauna e da flora existentes naquela região.

… “Outra iniciativa importante dessa mesma RPPN foi à criação do Centro de Educação Ambiental Luiz Jatobá Filho, um espaço que vai receber alunos das escolas dos municípios daquele entorno. Isso é um processo inovador e será muito bom para que a comunidade escolar possa se aproximar da natureza e entenda a sua importância para um meio ambiente ecologicamente correto, equilibrado”, explicou Lavínia Fragoso.



Compartilhe
comentários