Foi apenas uma reunião


Roberto Baia

21/08/2017 12h36

Na noite de terça feira (15), na tribuna da Câmara Municipal de Arapiraca, o vereador Moisés Machado, afirmou que a presença da secretária de Saúde de Arapiraca, à Câmara, não passou de uma reunião, pois na plateia não tinha nenhum representante da sociedade civil organizada, tampouco, o Ministério Público.

 

“Rombo” na Saúde

“Só os funcionários da Secretaria de Saúde fizeram parte desse encontro, que deveria ser uma Audiência Pública, porém, pareceu uma simples reunião”, disse Moisés Machado. Segundo ele, a secretária colocou uma questão preocupante que é a do “rombo” de R$ 8 milhões.

“Ela disse que a Makri Construtora recebeu recursos públicos e só realizou metade dos serviços. É preciso que as autoridades, principalmente o Ministério Público tome providências, já que se houve improbidade por parte do ex-secretário Ubiratan Pedrosa precisa ser levado a sério e totalmente investigado”, completou Moisés.

 

Palmeira dos Índios

Depois de muita espera, agora, os moradores do prolongamento da Travessa Antônio Ribeiro e da Rua Luíza Tereza da Conceição, no bairro de São Cristóvão, têm um motivo para comemorar.

Ontem (16), o prefeito Júlio Cezar, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura, assinou a Ordem de Serviço (OS) que dará início às obras de drenagem e pavimentação das duas ruas, além da calçada do cemitério São Gonçalo. A obra, que faz parte do programa Prefeitura em Ação, já contemplou outros bairros e ainda continuará em muitas ruas da cidade.

  

Compromisso com a Lei

“O Ministério Público não é apenas órgão de acusação. Ele tem o dever de promover justiça. Meu compromisso é com a lei. Estudei o processo inteiro e entendo que faltam elementos de condenação. Por isso, peço a este Conselho de Sentença que decida em favor do réu, para que ele seja absolvido”. Foi dessa forma que o promotor de Justiça Wesley Fernandes, da 3ª Promotoria de Justiça de Rio Largo, conseguiu convencer os jurados a não condenarem Rosiel da Silva Santos, acusado de assassinar Edson Amâncio da Silva, em setembro de 2009.

 

 

Julgamento

O julgamento ocorreu na manhã de quarta-feira (16), na Câmara Municipal de Rio Largo, local onde normalmente acontecem os júris. Lá, Rosiel da Silva Santos estava sentado no banco dos réus, sob a acusação de ter matado Edson Amâncio da Silva, com vários tiros, no loteamento Maranata, naquele município, no dia 5 de setembro de 2009.

 

Foi condenado

“O acusado já se encontra preso porque foi condenado em outro homicídio. E foi justamente durante a fase do inquérito policial desse crime pelo qual ele já estava condenado, que Rosiel teria dito que matara Edson. Porém, em juízo, já na acusação do homicídio de Rosiel, ele negou. Afirmou que só admitiu o assassinato porque tinha sido coagido. E, por incrível que pareça, a única suposta prova que existe contra o réu é essa confissão, dada quando da apuração de um outro crime que nem sequer fazia parte do contexto. Nada mais há”, detalhou Wesley Fernandes.

 

Albergue público

A Câmara Municipal de Arapiraca realizou na noite de terça-feira (15), mais uma sessão ordinária, quando foi aprovada a implantação de albergue público destinado à população em situação de rua. A indicação foi da vereadora Graça Lisboa (PDT), presidente da Mesa Diretora. Nos próximos dias a solicitação deverá ser encaminhada ao prefeito Rogério Teófilo (PSDB) e à Secretaria Municipal de Assistência Social e Políticas para a Mulher.

 

Justificativa

Em sua justificativa, a vereadora disse que o município não dispõe de serviços específicos para atender à demanda cada vez maior de pessoas em situação de rua, o que muitas vezes obriga famílias inteiras a dormirem em calçadas e praças, tornando-as vulneráveis a todo tipo de risco.

 

Cidadania

A vereadora solicitou providências para que o Poder Público proceda com a implantação de um albergue que também contemple a Assistência Social Municipal no atendimento desta parcela da população que vive às margens de cidadania plena.

 

Falta de água

 

 

Na sessão, o Pastor Marcos Caetano voltou a cobrar da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), uma maior atenção aos usuários, onde existem comunidades que há mais de dois meses sofrem com a falta d’água. Ele questionou os investimentos da empresa para Arapiraca anunciados pelo governador Renan Filho, no valor de R$ 25 milhões, porém, até o momento, a deficiência no abastecimento de água continua constante.

 

 

... O prefeito de Pão de Açúcar, Flávio Almeida, participou de uma reunião com a pauta “concurso público”, na sede da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), com a presença de 14 gestores de várias regiões do Estado, todos interessados em realizar certames para preenchimento de vagas nos municípios.

 

... Através de um consórcio – ainda em fase de estudo - com a Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes), os prefeitos poderão realizar os concursos, de forma rápida e mais econômica, uma vez que a contratação desta modalidade – consórcio – barateia os custos para a realização das provas, aluguel de espaço físico e toda logística do certame.

 

... “Sem medir esforços, estamos trabalhando ao máximo para a realização do concurso em nossa cidade para o preenchimento de vagas na Educação. Hoje, nossa maior demanda é a contratação de professores. Queremos de uma vez por todas, sanar este problema que persiste há 8 anos. Iremos dar oportunidade para que todos possam participar do processo”, disse Flavinho.



Compartilhe
comentários