Teófilo corta segundo mês de salários de professores e greve perde força


Roberto Gonçalves

03/08/2017 11h10

A maior greve na rede municipal de ensino da história de Arapiraca perde força após o prefeito Rogério Teófilo (PSDB) cortar os salários dos servidores no segundo mês da paralisação. A categoria reivindica reposição salarial de 7,64% e o prefeito após constantes apelos para o dialogo ofereceu 2,33 e se manteve irredutível na sua contra proposta. Os trabalhadores sentiram o impacto da medida adotada pela gestor e estão esvaziando o movimento coordenado pelo núcleo regional do Sinteal – Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Alagoas.

O retorno para as salas de aula dos professores foi admitida pelo presidente do núcleo regional do Sinteal, André Luís, durante entrevista em emissora de rádio de Arapiraca nesta quarta-feira (02). De acordo com as declarações do sindicalista, a adesão à greve foi reduzida em mais da metade, com permanência de cerca de 40% dos profissionais alinhados com a paralisação iniciada em 09 de maio último.

André Luís disse  que uma comissão de trabalhadores esteve nesta terça-feira (1 em Maceió para participar de audiência no Tribunal de Justiça de Alagoas –(TJ-Al)com o desembargador Alcides Gusmão. O corte dos salários foi o ponto principal da pauta, medida questionada pelo Sinteal que pede celeridade na análise da atitude considerada arbitrária pelo sindicato.

De acordo com informações passadas por André Luís, o desembargador explicou que não pode julgar a ação fora do processo relativo à greve, mas há pedido de urgência da matéria que também é acompanhada pelo Ministério Público Estadual.

Sob o impacto dos prejuízos causados pelo corte dos salários dos profissionais em greve, os trabalhadores da Educação convocam a categoria para discutir os rumos do movimento durante assembleia marcada para a tarde desta quinta-feira (03), a partir das 15 horas, na Escola Hugo Lima na Praça Luiz Pereira Lima. O prefeito Rogério Teófilo tampouco, a secretária municipal de Educação, Mônica Pessoa se pronunciaram sobre o corte dos salários pelo segundo mês consecutivo.

Na Câmara Municipal de Arapiraca o movimento de paralisação também perde força junto aos 17 vereadores. O prefeito Rogério Teófilo teria feito acordo com os parlamentares e 9 dos 17, já fazem parte da base de apoio do prefeito  Rogério Teófilo. Na sessão desta terça-feira (1) uma matéria de autoria do vereador Sérgio do Sindicato (PPS) que pedia relação e vencimentos e lotação de contratados na atual gestão foi rejeitado pela maioria.

 



Compartilhe
comentários