Esportes

Em novo momento, ASA tem de volta clube social e incentivos municipais


Carlos Alberto Jr.

11/08/2017 09h11

Na última segunda-feira (7), os torcedores e dirigentes da Agremiação Sportiva Arapiraquense (ASA) receberam boas notícias a partir do anúncio feito pelo prefeito Rogério Teófilo da liberação de necessários recursos para o clube. O “Fantasma de Alagoas” passa a receber patrocínio de R$ 500 mil, divididos em cinco parcelas, já a partir deste mês de agosto. O valor foi conquistado após o time passar a ser Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial do Município, após sanção da Lei 3.245/2017.

Além disso, o Estádio Municipal Coaracy da Mata Fonseca, também conhecido como “Fumeirão”, passará por uma significativa reforma em sua estrutura física. O recursos anunciados são de R$ 3.419.827,50 mil e são federais. O montante já se encontra depositado na Caixa Econômica Federal faltando apenas alguns detalhes burocráticos para seu início. As obras deverão começar no próximo mês de janeiro seguindo até meados do ano, o que não impedirá a realização de partidas do Campeonato Alagoano de Futebol, que acontece sempre nesse período.

O projeto, já finalizado, revela que o local terá arquibancadas em alvenaria. Visto de cima, o estádio terá um formato similar à letra U, o que irá aumentar o espaço para os torcedores, com ampliação da capacidade de público.

O presidente do ASA, Nelson Santos Filho, confirmou que, desde quando a nova diretoria alvinegra assumiu, ainda em novembro, o prefeito Rogério Teófilo se comprometeu em dar o apoio. “Não só com o ASA em si, mas nas melhorias para o Estádio Municipal. O ASA utiliza, inclusive, desde o início da competição estadual, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro, a marca da Prefeitura para todo o país, na certeza de que teríamos esse apoio”, afirmou.

O Governo do Estado, também patrocinador do clube, ainda não repassou nenhum valor neste ano. Porém, de acordo com Nelson Filho, o governador Renan Filho sempre afirmou que vai liberar recursos, não apenas ao ASA, mas para todas as equipes de Alagoas que participam dos campeonatos brasileiros de futebol.

DIFICULDADES

A atual diretoria encontrou o clube em dificuldades financeiras, com diversas dívidas trabalhistas, por exemplo. “Sem fazer crítica a ninguém, hoje o ASA tem 83 processos na Justiça do Trabalho. Com alguns, já conseguimos acordos. Temos a compreensão do juiz e até as partes que reclamam, algumas delas, têm compreendido a nossa situação”, explicou Nelson.

O clube, em 2017, recebeu em termos financeiros, apenas a arrecadação pela participação na Copa do Brasil, exatos R$ 1.030 milhão. Já no Campeonato Estadual, o ASA teve prejuízo. “Um ou outro [jogo] deixou R$ 10 mil. Somente em dois, três jogos, tivemos um saldo positivo de R$ 10, R$ 15 mil”, pontuou.

Para Nelson Filho, a resposta do comércio arapiraquense tem sido razoável para o clube. “Temos o Grupo Coringa que se mantém firme com o time há mais de 30 anos. É o nosso maior patrocinador. O grupo Unicompra e outros [patrocinadores], com valores menores, mas cada um dentro dos seus limites [financeiros]”, ponderou o presidente ao ASA.

DESEMPENHO EM 2017

Durante a entrevista ao Jornal de Arapiraca, Nelson Filho ressaltou a campanha do time nos campeonatos de 2017. “Fizemos um bom campeonato estadual. Ficamos na terceira colocação atrás apenas do CSA e do CRB. Ano passado ficamos na quinta. É uma classificação boa. Na Copa do Brasil, tivemos uma bela campanha também. Jogamos três fases, inclusive não perdemos para ninguém. E essa boa participação nos garantiu condições de resolver problemas financeiros até o mês passado com os R$ 1.030 milhão já recebidos”, frisou o presidente do ASA.

Nelson fez questão de destacar o atual plantel do ASA. “É além do que podemos. Está rendendo muito mais. Eles estão rendendo bem. Buscamos fazer um plantel modesto em termos financeiros, já que, quando entramos, o clube não tinha um centavo. Os salários estão em dia, graças a Deus, apesar das dificuldades. A cada vitória nós oferecemos uma gratificação financeira especial, não só aos atletas, mas também à comissão técnica. Acreditamos que atingiremos nossos objetivos”, pontuou.

Sobre a campanha na Série do Brasileirão, Nelson Filho demonstra estar consciente da situação, mas confiante. “Temos 12 pontos conquistados e cinco jogos pela frente, três em casa. “Acreditamos que temos condições de manter a equipe na Série C e ainda sonhamos com uma classificação para a próxima fase, não diria [um retorno à] Série B. Estamos matematicamente dentro da situação”, explicou.

TORCEDORES AFASTADOS

Para Nelson Filho, o afastamento dos torcedores do Estádio Municipal tem alguns motivos. “Vários itens levaram o torcedor a se afastar. Não existiam certas exigências. Antigamente poderia dividir os preços dos ingressos. Isso já foi um motivo para afastar principalmente o torcedor de menor poder aquisitivo. Tem a questão da bebida alcóolica, que é proibido comercializar. Ainda tem a violência e a televisão, que tem jogos de futebol a todo instante, os melhores possíveis, inclusive do ASA”, justificou. “O plantel não está empolgando, mesmo com todas essas questões, se estivesse, com toda certeza, teríamos um público bem melhor”.

SEDE SOCIAL

Uma das boas notícias passadas pelo presidente da agremiação foi a retomada do Clube Social do ASA. A situação, que se arrasta desde 2004, já foi revertida no Supremo Tribunal Federal (STF). O que resta agora é o trâmite burocrático na Justiça. “Brasília já enviou, ou vai enviar, a documentação para Recife que vai convocar o ASA para a reintegração de posse. Juridicamente já recuperamos em última instância. Agora só tem os trâmites legais. O prazo máximo, segundo nossos advogados, é de seis meses e já se passaram dois”, afirmou.

Nelson Filho explicou ao Jornal de Arapiraca que a direção e o Conselho Deliberativo da agremiação irá se reunir, em breve, para decidirem qual o destino a ser dado ao local. “Avaliaremos se o clube será reativado ou iremos fazer algum negócio para dar sequência às obras do Centro de Treinamento”, finalizou.

O Centro de Treinamento do ASA é localizado entre os povoados Piauí e Bananeiras, na Zona Rural de Arapiraca. Com mais de 80% das obras concluídas, o espaço ainda necessita de recursos para o término das obras. Na segunda-feira passada, a Prefeitura também se comprometeu em colaborar com a colocação do gramado num dos campos de futebol, por exemplo. O montante dos recursos ainda não foi informado pelo Município.



Compartilhe