Esportes

O CSA foi frio e efetivo na tarde desta terça-feira (01) diante do Criciúma no Estádio Heriberto Hulse. Num jogo equilibrado, o time alagoan


Fonte: Minuto Esporte

02/05/2018 08h51

O CSA foi frio e efetivo na tarde desta terça-feira (01) diante do Criciúma no Estádio Heriberto Hulse. Num jogo equilibrado, o time alagoano aproveitou as oportunidades que teve, venceu por 3 a 1 e ampliou a crise do “Tigre” que amargou a quarta derrota na Série B.

A vitória levou o CSA aos 9 pontos, assumindo a vice-liderança da Série B. Na próxima rodada a equipe azulina recebe o Boa Esporte no Estádio Rei Pelé. Já o Criciúma, passa por uma crise e chegou a sua quarta derrota na competição nacional, figurando entre os quatro da zona de rebaixamento e terá de buscar a reabilitação diante do Guarani em Campinas.

O JOGO

O jogo desde o início mostrava muito equilíbrio. Porém, o CSA se mostrava solto no jogo, saindo para o jogo e rondando a área do Criciúma. Aos 31 minutos, a obediência técnica e tática do time alagoano deu resultados. Didira arriscou de fora da área, a bola fez efeito e balançou as redes do goleiro Luiz.

As redes só voltaram a balançar no segundo tempo, dessa vez para a equipe da casa. Cobrança de escanteio na área do CSA, Sandro cabeceou e a bola bateu na mão do volante Edinho. Pênalti marcado. João Paulo foi para a cobrança, encheu o pé e deixou tudo igual.

O gol da equipe catarinense parecia que iria mudar a história do jogo. O Criciúma era mais ativo, mas acabou exagerando na dose. Aos 14 minutos, bola na área dos donos da casa e o goleiro Luiz já se preparava para ficar com a bola, mas o defensor Nino tentou afastar, pegou mal e acabou mandando para as próprias redes. CSA 2 a 1.

Depois do gol o CSA passou a jogar com inteligência, administrando o resultado. Na reta final do jogo, o “Trigre” se complicou quando Marlon atingiu Didira e levou cartão vermelho. Minutos depois, mais precisamente aos 37, Niltinho lançou Didira, que livre, tocou com estilo por cobertura, marcando o terceiro e decretando placar final no Heriberto Hulse. 3 a 1.

O atacante alagoano Zé Carlos, ex-CRB, foi substituído durante o jogo, já tinha amarelo e seguiu reclamando no banco. Acabou expulso do lado de fora.



Compartilhe