Esportes

Alagoana Marta recebe prêmio em Nova York pela luta por igualdade de gênero no esporte


Fonte: Globo Esporte

17/10/2019 11h19

A craque brasileira Marta foi premiada nessa quarta-feira, em Nova York, por sua atuação dentro e fora de campo pela quebra de barreiras de gênero no esporte. O prêmio foi dado pela Women's Sports Foundation, uma instituição que trabalha pela igualdade de oportunidades no esporte para as mulheres e anualmente promove uma noite de gala para homenagear as esportistas que se destacaram dentro e fora das competições.

A camisa 10 da seleção brasileira e do Orlando Pride, de Miami, foi escolhida para receber o Wilma Rudolph Courage Award "por sua perseverança diante das adversidades, trabalho incansável para derrubar as barreiras de gênero no esporte, e pelo inspirador trabalho como Embaixadora da Boa Vontade da ONU para mulheres e meninas no esporte e como Defensora das Metas de Desenvolvimento Sustentável da ONU".

Antes da premiação, um breve resumo da carreira da brasileira foi apresentada na cerimônia, desde os primeiros passos em Dois Riachos (AL), quando ela jogava nas ruas com meninos, até a chegada à seleção brasileira, onde conquistou duas medalhas de prata olímpicas, e o seu trabalho na ONU.

Marta se emocionou ao relembrar as dificuldades para jogar futebol na infância, ao receber o prêmio:

- Quero agradecer pela homenagem e parabenizar a Women's Sports Foundation pelo lindo trabalho que vem realizando. Esse prêmio fala muito por si. Coragem foi uma das palavras que eu tive de aprender muito cedo, desde o primeiro momento em que eu escolhi fazer um esporte que para muitos era um esporte masculino. Então, praticamente, todos os dias eu tinha que brigar com os meninos para que eles me deixassem jogar. Mas o que me deixava mais irritada era saber que isso vinha do que eles aprendiam, os adultos passam para as crianças o que eles acreditam, e as crianças só seguem os exemplos dos adultos - discursou a brasileira.

Premiada, Megan Rapinoe homenageia Marta

O prêmio de Atleta Feminina do Ano, na categoria esporte individual, foi a boxeadora americana Claressa Shields, bicampeã olímpica do peso médio em Londres-2012 e no Rio-2016. E na categoria esporte coletivo, a premiada foi a meia Megan Rapinoe, da seleção americana de futebol, eleita a melhor jogadora do mundo de 2019 na premiação Fifa The Best, em setembro.

Ao receber o prêmio, Rapinoe homenageou Marta, ao citar a coragem da brasileira em lutar pelo que acredita como uma inspiração para todas as atletas.

- A inspiração que você deu a todas nós, ter a carreira que você teve, é tão encorajador, é uma inspiração. Obrigada, Marta, por ser a melhor da história - afirmou a americana.

O evento multiesportivo dedicou outros momentos especiais para o futebol feminino. A seleção americana, que conquistou este ano, na Copa da França, o tetracampeonato mundial, recebeu uma homenagem especial, tanto por sua performance no torneio como pela contribuição para o avanço das mulheres no esporte.



Compartilhe