Interior

Traipu sedia evento nacional em defesa do Velho Chico


Fonte: Assessoria

05/06/2017 11h49

O lançamento da campanha "Eu Viro Carranca para Defender o Velho Chico" aconteceu em Traipu nesse sábado (2), com grande participação da população local, autoridades do município e da equipe do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), realizadores do evento. O lançamento abriu o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico, instituído pelo CBHSF como o dia 3 de junho.

A programação de Traipu foi iniciada com missa campal celebrada pelo padre Eduardo Alves, em ação de graças à vida do Rio São Francisco. Em seguida, o prefeito Eduardo Tavares - um grande conhecedor e defensor do Rio São Francisco – ressaltou suas riquezas e atuais problemas. "Vivemos de uma forma que muitas vezes não paramos para pensar na finitude de muitos recursos naturais existentes. Grandes tragédias ambientais marcaram o mundo, sem que o homem pensasse que um dia esse dia chegaria."

Ele também falou sobre o passado pujante do Rio São Francisco, em que sua vazão era de 11 mil metros cúbicos, quando uma força o levava ao mar adentro. Hoje, chega aos alarmante 500 metros cúbicos, que deixam o rio sem força, fazendo o caminho inverso: o mar que avança sobre seu leito.

A salinização, que já é realidade em algumas cidades, prejudica o abastecimento de água à população com qualidade de consumo. "Um rio morre pela foz, precisamos salvar o São Francisco", destacou o prefeito Eduardo Tavares, que também tem estudos e projetos apresentados em eventos por todo o Brasil sobre a situação do Rio São Francisco.

"Desmatamento, poluição, era das hidrelétricas, captações clandestinas e muitas mais, qual rio sobrevive a tanta agressão? Será que teremos tempo para ver isso?”, questionou Eduardo Tavares, acrescentando: “tudo depende da forma como iremos tratá-lo daqui pra frente", finalizou.

Mobilização em defesa do rio

A mobilização que envolve o 3 de junho, Dia Nacional em Defesa do Velho Chico, está percorrendo algumas cidades ribeirinhas com o objetivo de conscientizar a população sobre a preservação do rio e mobilizar todos pelo uso responsável de seus recursos. As cidades são Pirapora (MG), Ibotirama (BA), Paulo Afonso (BA), Traipu (AL) e Propriá (SE).

Um abaixo-assinado está percorrendo estas cidades durante os eventos com o objetivo de instituir os biomas Cerrado e Caatinga como Patrimônios Nacionais, pois deles dependem muito a preservação do São Francisco pela importância de sua vegetação e pelas reservas subterrâneas de água doce que cobrem grande parte do leito do rio.  No final, as assinaturas recolhidas serão entregues no Congresso Nacional. A participação também pode ser feita através do site www.cbhsaofrancisco.org.br.

O secretário de Meio Ambiente, Jackson Borges, recebeu em Traipu  o coordenador da Câmara Consultiva do Baixo São Francisco, Honey Gama, que atende os estados de Alagoas e Sergipe e uma pequena parte de Pernambuco e Bahia. A equipe que o acompanhou trouxe uma estrutura de conscientização que envolveu material publicitário, curta-metragem em animação - que envolveu a plateia de crianças e adultos presentes no evento. O estudante Hudson Silva disse: "Eu gostei do filme, aprendi que temos que cuidar melhor dele".

Para Honey Gama, foi muito importante instituir o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico durante a Semana do Meio Ambiente. "É um momento de conscientização sobre a importância de preservar, de cuidar do rio. Queremos também apresentar à sociedade os projetos que o comitê tem desenvolvido na bacia do São Francisco".

Honey ainda destacou a data de hoje como muito marcante, justamente pela baixa vazão que vem sendo imposta ao Rio São Francisco. "É a menor vazão da história do rio. Estamos atravessando a mais grave crise hídrica que se tem conhecimento. No entanto, ao mesmo tempo que vemos a gravidade da situação, me alegro em vir aqui num período chuvoso, em que pude ver a vegetação da região toda verde. Temos que trabalhar e acreditar que conseguiremos melhorar essa situação em que o Rio se encontra".    

Sobre o Museu Ambiental Casa do "Velho Chico"

Uma atração à parte no Dia Nacional em Defesa do Velho Chico, em Traipu, foi o Museu Ambiental Casa do "Velho Chico". Os visitantes se encantaram com suas peças que representam a história do Rio São Francisco e tudo que o envolve. Peças que simbolizaram a vida e os hábitos da população ribeirinha: lendas, costumes, tradições, antigos habitantes, sua degradação, poluição.

Uma grande aula com peças antigas e muita imaginação e criatividade do seu idealizador Jackson Borges, conhecido nacionalmente como um estudioso, engajado e apaixonado defensor do Rio São Francisco. "Estou muito feliz em ver o interesse da população pela causa do nosso rio. Recebemos hoje, na abertura, centenas de visitantes. Ficaremos em exposição até o dia 16 de junho", explicou.

O Museu está montado na Avenida Beira Rio, dentro do Ginásio de Esportes Helenildo Ribeiro e aberto a visitação diária das 9h às 20h.

Livro História de Traipu

"Sempre penso no mal que se fez ao Rio São Francisco para nós e futuras gerações", disse o escritor Jenner Glauber Torres durante o lançamento do seu livro ‘História de Traipu’. O livro nasceu do meu testemunho, do carinho e do respeito que tenho por Traipu. Também do meu desejo em registrar sua história, através de pesquisas de outros historiadores e do que vi acontecer nos últimos anos. Esse livro é um esboço do que quero deixar pra Traipu, e no futuro, continuar a escrevê-lo a muitas mãos", concluiu o escritor.    

Durante o evento, o prefeito Eduardo Tavares estava acompanhado do vice-prefeito, Cavalcante, e dos secretários municipais, Genivaldo Rosa, Carlos Mendonça, José Afonso, Rosely, Dulcinéa, além de o ex-prefeito Artur Olímpio e alguns funcionários municipais.



Compartilhe