Interior

Universitários aproveitam posse de prefeito para cobrar auxílio


FERNANDO VINÍCIUS

18/08/2017 15h35

Pressionados pelo alto custo com transporte e alimentação – despesas cotidianas para quem estuda numa cidade e mora em outro município –, estudantes universitários de Penedo foram novamente até a Câmara de Vereadores para cobrar assistência do município onde residem. São alunos e alunas, em sua maioria de baixa renda, que temem precisar trancar matrícula ou até mesmo desistir do curso que cada um faz no campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), em Arapiraca.

Segurando cartazes que expressam o valor da educação, parte do grupo que esteve na assistência da Sala das Sessões Sabino Romariz, no início do mês, voltou a ocupar cadeiras da Câmara Municipal de Penedo na manhã de segunda-feira, 14 de agosto. De forma ordeira e pacífica, alunos e alunas aproveitaram a posse do Vice-Prefeito de Penedo, o engenheiro civil Ronaldo Lopes, na função de Chefe do Poder Executivo, para cobrar solução para o problema.

A mobilização dos que estudam em áreas ofertadas no período diurno da Universidade Federal de Alagoas na capital do Agreste repercutiu no plenário da Câmara de Penedo. O primeiro apelo gerou a intermediação do pleito por vereadores da bancada de situação, parlamentares que apoiam a causa que havia sido levada, pelos estudantes, ao conhecimento da Secretária Municipal de Educação, Cintya Alves.

Obrigados a investir, cada um, cerca de quinhentos mil reais por mês, os estudantes dependem de suas famílias para seguir na faculdade. Conscientes do aperto que isso representa para o orçamento doméstico, eles pretendem conseguir, pelo menos, uma ajuda de custo para poder bancar o gasto com transporte e alimentação.

O sacrifício das famílias dos universitários e a motivação do pedido de auxílio foi tema de reportagem publicada na edição passada do Jornal de Arapiraca, matéria reproduzida no portal Arapiraca News.

Considerada justa, por unanimidade dos membros do Poder Legislativo, a reinvindicação foi apresentada ao Prefeito Március Beltrão em 04 de agosto, um dia após a primeira ida dos universitários à Câmara Municipal de Penedo.

A abertura de diálogo entre universitários e o governo rendeu o seguinte posicionamento do Prefeito Március Beltrão. Por meio de sua assessoria, o gestor declarou que iria verificar a possibilidade de ajuda financeira por meio da Secretaria de Assistência Social, conforme apurado a reportagem do Jornal de Arapiraca.

Novo posicionamento

Ausente por motivo de viagem aos Estados Unidos, o prefeito penedense passou o cargo ao seu vice pelo prazo de 15 dias.  E foi Ronaldo Lopes quem recebeu os estudantes universitários na sala de reuniões da Prefeitura de Penedo, encontro realizado no final da tarde de terça-feira (15) que gerou um novo posicionamento do governo.

“Iremos conversar com a Secretária de Educação, Cintya Alves, para verificar as possibilidades de ajudar esses estudantes, apesar da queda de arrecadação do município. Mas podem ter certeza que vocês ganharam mais um defensor para essa causa, irei levantar essa bandeira e buscar todas as possibilidades de resolver o problema”, afirmou o prefeito em exercício aos alunos e alunas da Ufal, conforme consta na notícia publicada no portal eletrônico da Prefeitura de Penedo sobre a reunião que também contou a com a presença de vereadores.

Dessa forma, o assunto volta à mesa da Secretária de Educação de Penedo. A pasta comandada por Cintya Alves, pessoa indicada por Marcelo Beltrão (irmão do prefeito Március, ex-presidente da AMA e atual Secretário de Educação em Marechal Deodoro) havia solicitado aos estudantes que informassem, por escrito, a relação de todos (com matrícula e curso) que estudavam pelo dia em Arapiraca, registro pedido quando houve a solicitação de ajuda com transporte que o município disponibiliza, para universitários, somente no período da noite.

Para conseguir o deslocamento diário em ônibus ‘amarelinho’, isso em 2013, alunos e alunas fizeram a mesma peregrinação que estudantes fazem atualmente. Apelaram ao Poder Executivo e Legislativo, conseguiram até que fosse sancionada uma lei que criava um tipo de ‘bolsa estudante’ para custeio do transporte, lei que nunca entrou em vigor, apesar de sancionada.



Compartilhe