Interior

Prefeitos se reunirão em Palmeira nesta terça (12) para discutir soluções para o lixo dos municípios


Redação
Fonte: Assessoria

11/09/2017 09h41

Prefeitos das regiões do Agreste, do Sertão e do Vale do Paraíba de Alagoas estarão reunidos às 9 horas desta terça-feira (12), em Palmeira dos Índios para discutirem problemas relacionados aos lixões dos municípios, a construção de um aterro sanitário para atender o Agreste e das áreas de transbordo, que também inclui a implantação de uma sede em Palmeira. 

O lixo é um dos grandes problemas enfrentados pelas cidades que precisam se adequar a um decreto federal que determina o fechamento desses locais desde 2014.

O prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar, por exemplo, disse que a adequação do município ao decreto federal é de extrema importância, pois o município já recebeu várias multas por manter o lixão da cidade sem o devido tratamento dos resíduos sólidos.

"Uma delas, em 2015, quando a prefeitura foi multada em R$ 440 mil pela Fiscalização Preventiva Integrada na Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco por crime de poluição ambiental", informou o prefeito.

Alguns gestores também irão relatar a experiência que tiveram durante a visita ao aterro sanitário de São Luís, no Maranhão, ocorrida no final do mês passado, por ser considerado um modelo em todo o país.  Além disso, haverá um debate com os diretores das Centrais de Tratamento de Resíduos (CTRs) de Alagoas sobre os custos operacionais de uma estação de transbordo.

“A experiência em São Luís foi maravilhosa, porque além do aterro sanitário, que funciona de acordo com as normas ambientais, a cidade possui ecopontos instalados estrategicamente, e que recebem o lixo doméstico depositado pela população. Com isso, além da realização correta da coleta seletiva, as praças e terrenos baldios ficam livres de sujeira e a população ganha em qualidade de vida”, disse a secretária de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Palmeira dos Índios (Semarhpi), Anna Luísa França.

A reunião acontecerá amanhã de manhã no auditório da Fundação de Amparo ao Menor (Fundanor).



Compartilhe