Justiça

Julgamento de recurso de prefeito acusado de agressão é adiado


Fonte: Assessoria e agências

05/09/2017 16h14

O julgamento sobre a manutenção da prisão do prefeito de Maribondo, Leopoldo Pedrosa, acusado de agredir a ex-esposa e a sogra, foi suspenso por pedido de vistas do juiz convocado Maurílio da Silva Ferraz. O processo será retornado na próxima terça-feira (12).

Segundo a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), o relator, desembargador João Luiz Azevedo Lessa, votou para manter a prisão e receber a denúncia contra o gestor municipal, pelos crimes de lesão corporal contra sua esposa por duas vezes, e lesão corporal e ameaça contra a sogra.

O voto do relator já foi acompanhado pelos desembargadores Elisabeth Carvalho, Fábio Bittencourt, Paulo Lima e Pedro Augusto Mendonça.

Violência Doméstica

De acordo com o processo, Meiry Emanuella Oliveira Vasconcelos foi agredida tal forma que chegou a desmaiar devido aos fortes golpes que levou, bem como que sua mãe, Rosineide de Oliveira Vasconcelos, que só não foi agredida com um pedaço de madeira porque Jacyara de Oliveira Vasconcelos, irmã da vítima, conseguiu intervir.

Após a última agressão, Meiry Emanuella foi ao plantão do Complexo de Delegacias Especializadas e encaminhada a 2ª Delegacia Especializada Defesa da Mulher, na qual prestou queixa e entregou uma arma de fogo de propriedade do Leopoldo César, em seguida, foi encaminhada para fazer o exame de corpo de delito.

A Polícia, Meiry Emanuelle relatou que não rompia o relacionamento por medo, porque quando dizia que queria se separar, já que não aguentava mais a situação, Leopoldo Pedrosa afirmava que “se ela não fosse dele, não seria de mais ninguém”. A vítima disse que teme bastante por sua vida e de sua família, pois um irmão seu foi morar no Rio de Janeiro por causa das ameças do agressor.



Compartilhe