Municípios

Prefeitura de Palmeira descarta moradores de rua das ações de combate à Covid-19


FERNANDO VINICIUS
Fonte: Redação

28/05/2020 11h35

Uma medida praticada pela Prefeitura de Palmeira dos Índios que afronta a necessidade de assistência social para qualquer pessoa – inclusive em tempos de grave problema de saúde pública, como a pandemia do Novo Coronavírus – gerou críticas nas redes sociais, entre a população e até por parte de gestores municipais.

O governo do prefeito Júlio Cezar pegou moradores de rua na sexta-feira, 22, e sob o pretexto de combater a Covid-19, simplesmente transferiu o grupo até Paulo Jacinto, cidade vizinha da cidade-polo do Agreste alagoano. As pessoas foram levadas em uma van, com escolta da Guarda Municipal, e abandonadas em um conjunto residencial.

A medida que revela desprezo pelo ser humano, abandonado à própria sorte, foi registrada por moradores da localidade e repercutiu nas redes sociais, chegando ao conhecimento da administração municipal.

 

Promessa de abrigo

Para se inteirar da razão da transferência efetivada com suposta promessa de mudança dos moradores de rua para abrigo, o Prefeito de Paulo Jacinto, Marcos Lisboa, procurou o colega gestor Júlio Cezar. A redação do Jornal de Arapiraca recebeu cópia do áudio que Lisboa publicou em grupo de Whatsapp que reúne prefeitos alagoanos.

“Nós fomos surpreendidos no começo da tarde, início da noite que havia um grupo de pessoas deixado na cidade, numa van, vinda de Palmeira dos Índios. Mandamos nosso pessoal da Assistência Social ir ao encontro dessas pessoas e elas disseram que tinha sido prometido serem levadas para determinado abrigo e, inexplicavelmente, foram deixadas na cidade de Paulo Jacinto”, informa Marcos Lisboa em seu posicionamento.

De imediato, Lisboa acrescenta que tentou conversar com Júlio Cezar, frisando saber que havia alguma coisa errada naquela situação, mas não conseguiu. Marcos Lisboa diz que informou o caso para a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) e depois obteve o retorno do gestor da cidade vizinha de Paulo Jacinto.

 

Assessoria culpada

Ainda no mesmo áudio, Marcos Lisboa diz que Júlio Cezar se declarou “abismado, pediu mil desculpas”, determinou o retorno das pessoas para Palmeira dos Índios e culpou a assessoria da prefeitura que administra pelo problema causado, segundo informa o gestor de Paulo Jacinto, acreditando que o colega encontrará a solução adequada.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Palmeira dos Índios encaminhou uma nota da Secretaria Municipal de Assistência, Inclusão e Desenvolvimento Social. A pasta tenta justificar a transferência dos moradores de rua para “salvaguardar a integridade física, evitar aglomeração, e combater a disseminação do coronavírus”, tirando “um grupo de pessoas em situação de rua e sem condições de se sustentar, para as cidades de origem”.

Assim, a pasta que tem como missão principal promover ações direcionadas para pessoas em condição de extrema pobreza resolve o seu problema criando outro, em outra cidade. Na prática, a ação foi se “livrar do problema”, transferindo de Palmeira para Paulo Jacinto, o que gerou a reação imediata do governo do município vizinho.

A Secretaria de Assistência Social de Palmeira dos Índios assume o erro, informando que “esse grupo ficou no município de Paulo Jacinto, o que contraria a orientação técnica de praxe da nossa gestão em casos como este”.

A pasta pede desculpas pelo ocorrido, confirma a ordem de solução por parte do prefeito e o “acolhimento provisório e emergencial em nosso território, até que se fizesse contato com as secretarias de Assistência Social responsáveis por dar abrigo institucional a indivíduos que estão em processo de saída das ruas”.



Compartilhe