Nacional

Colapso: Brasil precisa de 40 mil médicos para enfrentar pandemia e só tem 7,2 mil


Fonte: Blog Marcelo Firmino

04/04/2021 12h37

O colapso na saúde pública brasileira é uma realidade triste nesta pandemia do coronavírus.
Há, em meio a todo o caos estabelecido, a falta de médicos intensivistas para cuidar do tratamento das pessoas internadas nas Unidades de Terapia dos hospitais brasileiros.
Hoje o País tem 7.200 médicos intensivistas, segundo a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), mas precisaria de pelo menos 40 mil profissionais atuando nesse momento.
Essa carência foi admitida pelo próprio Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Para ele houve houve falha da gestão da saúde pública no País em não prever a preparação de recursos humanos numa situação como essa.
Agora o quarto Ministro da Saúde, no atual governo, diz que, de forma tardia, vai priorizar a questão oferecendo bolsas para intensivistas em todo o País.
Isso, por si só, revela um descaso e a improbidade do governo na gestão da pandemia. Um problema grave que tem causado dor e morte a milhares de pessoas em cada canto do País.
Resultado de toda a falta de planejamento no combate a doença gerou o drama da falta de leitos nas UTIs, aliada à falta de médicos para atender a quem precisa.
O nível de irresponsabilidade dos gestores é, de fato, criminoso. Mais cedo ou mais tarde haverá alguém para chamar à responsabilidade os envolvidos pela negligência com a saúde da população.
O País tem mais de 300 mil mortos, atualmente. Isso não pode passar impune.
Uma pena que, sobre isso, os conselhos representativos dos médicos brasileiros se mantenham omissos, calados.
E a culpa não é da máscara.



Compartilhe