Nacional

Bolsonaro surta, diz que mundo não combateu HIV e que na África há ivermectina, não vacina



07/04/2021 20h54

O presidente Jair Bolsonaro fez uma analogia surtada, nesta quarta (7), comparando a Covid-19 com o HIV, para defender mais uma vez o uso do tratamento precoce na atual pandemia.

Defensor da hidroxicloroquina e a ivermectina, remédios sem comprovação científica e que na verdade vem afetando rins e fígado de pessoas que ouvem o presidente, ele comparou os métodos usados nos anos 80 contra a Aids e a situação que o país enfrenta com esta pandemia.

“Eu acredito na ciência, mas a ciência por vezes demora. Naquela época, o que foi usado para combater o HIV? O coquetel do AZT. Era comprovado cientificamente? Não. Se não tivesse usado, não chegaríamos no futuro ao coquetel”. Jair Bolsonaro, presidente.

Ele também chegou a se referir como ‘classe específica que tinha um comportamento sexual diferenciado’, relacionando a doença às pessoas homossexuais.

Ao citar hidroxicloroquina e ivermectina, o presidente reforçou que é de autonomia do profissional da saúde receitar ou não os medicamentos sem comprovações científicas.

“Se o paciente está com a doença e não tem o remédio específico comprovado cientificamente, tem que buscar uma alternativa. Não sei como salvar vidas, não sou médico, não sou enfermeiro, mas tem que buscar uma alternativa para isso”. Jair Bolsonaro.

Os impropérios foram ditos em evento que reuniu Jair Bolsonaroe autoridades catarinenses em Chapecó nesta quarta-feira (7). Em um discurso de quase 50 minutos.

Na oportunidade, ele ainda falou da necessidade de combater corrupção, ao mesmo tempo em que elogiou um condenado e preso pela PF por dispensa irregular de licitação.

Fonte: Thiago Sampaio 


Compartilhe