Nacional

Sérgio Moro – Herói da pátria?


Luiz Eduardo Medeiros
Fonte: Redação/Luiz Eduardo Medeiros

02/07/2019 19h45

Por Luiz Eduardo Medeiros

        Todo cidadão brasileiro tem acompanhado, desde 2013, o desenrolar da Operação Lava Jato, uma das maiores operações de combate à criminalidade da história do Brasil. Tal operação nos apresentou o antigo juiz e atual ministro da justiça e segurança pública Sérgio Moro, que muito tem feito pelo país, sendo o principal nome do combate à corrupção, protagonizando a condenação do ex-presidente Lula entre diversos outros feitos.

Todos conhecem os fatos.

        Em decorrência disso, o então juiz se tornou cada vez mais popular e querido entre o povo brasileiro por estar fazendo justiça de verdade, como raramente se vê, e se arriscando pela honra, pelo mérito e, principalmente, pela ordem e pelo progresso de nosso país, seja como homem, como juiz ou como ministro.

              Alguém poderia dizer: “Mas é obrigação dele fazer justiça”!

O fato, entretanto, é que nunca se fez, pois, no Brasil, justiça e política andam lado a lado na maior promiscuidade.

        Todo cidadão brasileiro também tem acompanhado o escândalo envolvendo os vazamentos de supostas conversas, ou diálogos, realizada via celulares (hackeados) do Ministro Sérgio Moro e de procuradores da república, feitos pelo jornal The Intercept Brasil, que tem como um de seus principais nomes Glenn Greenwald, cônjuge do deputado federal David Miranda (PSOL-RJ), que assumiu o cargo após a saída de Jean Wyllys, de quem era suplente. Precisa dizer mais nada!

        Tais vazamentos já começaram soando estranhos e perderam a credibilidade após serem divulgadas conversas com datas futuristas, mensagens enviadas por procurador, então preso, e diversos outros erros e tropeços. Após até mesmo membros do jornal admitirem que as mensagens foram editadas, torna-se impossível confiar no jornal Intercep, essa a verdade. Esse jornal, The Intercept Brasil, tem credibilidade zero, e já provou, por si próprio, ser uma farsa. Claramente, os criminosos são os responsáveis por isso, não o ministro.

        Com tudo isso, o Ministro Sérgio Moro só tem conseguido, cada vez mais, o apoio e a lealdade do povo brasileiro, e provou ser, sim, um herói para a população ávida por bons exemplos e por estar sendo um dos grandes responsáveis pela concretização do sonho de liberdade do brasileiro e do combate, sem tréguas, à corrupção e à improbidade. E isso se torna mais claro a cada dia, como vimos nas manifestações  ocorridas em 30 de junho, domingo passado. O povo não vai desistir de lutar por um país melhor. O grande fosso existente entre nação e estado haverá de diminuir drasticamente.

               É lógico que não somos tolos ou ingênuos a ponto de pensar que temos um “salvador da Pátria” ou mesmo um “paladino da justiça”. O Juiz é apenas um homem, um   homem comum, contudo, dotado de características raras em nossos dias, em nosso meio, nos homens públicos, como a honestidade, a ética e a coragem.

        Sérgio Moro, queiram ou não, é exemplo a ser seguido. Sua saga deverá influenciar, sobretudo, os jovens e o seu legado servirá de exemplo para os agentes políticos que têm o dever de promover as verdadeiras e necessárias mudanças tão clamadas pela sociedade. Que a luta que se tem travado, hoje, contra esse câncer chamado corrupção, represente o descortinar de um novo horizonte para nós e para a posteridade. Chego a pensar que o Brasil tem jeito.

Saudações democráticas.



Compartilhe