Polícia

Empresário que está preso por suspeita de abuso sexual é denunciado em novas acusações


Marcos Felipe
Fonte: Redação

23/07/2020 10h44

Após a prisão do empresário Marcelo Neves, de 33 anos, na última quinta-feira (16), acusado de estupro de vulnerável, novas vítimas procuraram a acusação para relatar que também sofreram supostos abusos. 

Marcelo já fazia uso de tornozeleira eletrônica por violência doméstica e o Ministério Público Estadual (MPE) ofereceu denúncia em desfavor do empresário.

Conforme a Juíza da 14ª Vara Criminal da Capital, Juliana Batistela, que expediu o mandado de prisão, o empresário está sendo acusado de estupro aos enteados.

“Os abusos vinham acontecendo há algum tempo e só vieram à tona após outras duas moças, que trabalharam com ele, denunciarem que foram abusadas sexualmente. Além disso, o empresário responde por maus-tratos”, disse a juíza.

A magistrada ainda mencionou as características desse crime. “É um tipo de abuso que não tem vestígios, mas ele mexia nas crianças. A gente entende que a narrativa das crianças é bem coerente, e foi mais de uma vez. As ameaças eram verdadeiras”.

Após o caso ganhar repercussão da vítima, os advogados de acusação relataram que no decorrer desta semana, outras supostas vítimas os procuraram relatando também abusos e que estão tentando convencê-las a denunciar, pois estariam com medo de represálias.

Silêncio rompido

A ex-mulher de Marcelo foi a primeira a quebrar o silêncio e procurou os advogados e depois expôs os relatos à imprensa. Ela disse que somente há três meses soube o que estava acontecendo após uma de suas filhas relatar o ocorrido a sua madrinha. Com a informação na mão, a mulher ligou para o empresário que teria negado.

Diante da situação, ela pediu para que Marcelo arrumasse as coisas e saísse de casa.

A mulher ainda descobriu que ele tinha sacado uma quantia grande em dinheiro da conta da empresa da qual eram sócios, e decidiu procurar os advogados e prestar queixa contra o empresário. A mãe e as crianças estão recebendo acompanhamento psicológico.

 

Assédio

Uma ex-empregada, hoje com 24 anos, também procurou os advogados e a polícia para relatar um caso de assédio envolvendo Marcelo.

Ela disse que em 2018 fez uma cirurgia plástica, no mesmo local que a ex-esposa dele havia feito. A jovem relatou que ao retornar ao trabalho, depois da recuperação, Marcelo contava às pessoas sobre o tipo de cirurgia que ela havia feito e pedia para ver o implante.  Segundo a jovem, uma vez ele pediu para ver o implante quando estavam sozinhos no escritório. Ele também teria a assediado dentro do carro, tocando em seus seios.

Quatro dias depois após esse episódio, a jovem pediu demissão do emprego, com medo de que o assédio se repetisse.

Outras jovens da cidade de Japaratinga, no Litoral Sul de Alagoas, onde o empresário possui uma casa, também procuraram os advogados para relatar supostos abusos, sendo que todos os depoimentos encaminhados para a Polícia Civil.

Entramos em contato com a defesa de Marcelo Neves que enviou a seguinte nota para a reportagem do Jornal de Arapiraca.

 

NOTA

Com o devido respeito aos órgãos de imprensa e à sociedade alagoana, vimos respeitosamente fazer breve manifestação acerca dos fatos noticiados na imprensa relativos às acusações feitas em desfavor de Marcelo Neves Pereira. Desde já, informamos que o processo tramita em segredo de justiça, pelo que não podemos discorrer sobre qualquer fato específico tratado nos autos. Em linhas gerais, tanto o Sr. Marcelo Neves Pereira quanto a defesa técnica estão convictos da sua inocência, bem como da desnecessidade de sua prisão que é meramente provisória, razão pela qual utilizará dos meios processuais necessários para demonstrar que as acusações que lhe são imputadas não são procedentes e que o Sr. Marcelo Neves Pereira é inocente. Ressaltamos que o Sr. Marcelo Neves Pereira não foi condenado em nenhuma instância judicial, estando o procedimento judicial ainda em fase prematura, aguardando o momento processual oportuno para apresentação da sua primeira defesa. Até lá, deve prevalecer a presunção de inocência do Sr. Marcelo Neves Pereira por força da nossa Constituição Federal.

 

 

 



Compartilhe