Polícia

Advogado preso no Agreste participava de organização criminosa, diz polícia


Fonte: Gazeta Web

03/10/2017 12h36

A Polícia Civil não tem dúvidas da participação do advogado Igor Gonçalves Ferro na organização criminosa desbaratada durante operação policial realizada na cidade de Palmeira dos Índios. A declaração foi dada, na tarde desta segunda-feira (2), em entrevista coletiva pelo diretor da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), delegado Mário Jorge Barros, na sede da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL). A polícia revelou que, antes da operação, a investigação durou cerca de três meses. 

De acordo com a Polícia Civil, os presos foram identificados como Carlos André Lima da Silva; Fabrício Santos, conhecido como "Índio" e que seria o líder do grupo; Igor Gonçalves Ferro (advogado); Dayana Bruna; Denilma da Silva e Fernanda Maria Pereira. Todos foram presos após representação feita pelos investigadores ao Poder Judiciário, que decretou a prisão preventiva de todos por meio da 17ª Vara Criminal de Alagoas.

Os suspeitos foram indiciados por porte ilegal de arma de fogo, tráfico e associação para o tráfico. Com eles, foram apreendidas arma, 1kg de droga e munições. "Tanto há indicativos da participação do advogado que a Justiça decretou a prisão preventiva dele. Não podemos revelar outras informações para não atrapalhar as investigações que estão em curso", expôs Mário Jorge. Os suspeitos presos foram encaminhados para o Sistema Prisional de Alagoas, onde encontram-se à disposição da Justiça. 



Compartilhe