Polícia

Crime em Batalha gera pânico e medo na população do Sertão alagoano


Cinara Correa
Fonte: Redação

10/11/2017 11h13

Mércia Boiadeiro e Preto Boiadeiro, esposa e filho do vereador Neguinho Boiadeiro, assassinado nesta quinta-feira, 09, em Batalha, acreditam que a família Dantas tenha participação no crime, que aconteceu após uma emboscada em frente à Câmara Municipal.

O segurança do vereador, o policial civil Joaquim Lins Neto, 55, conhecido como Joaquim Pirauá, encontra-se internado no Hospital de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca, onde também foi medicado José Elson Oliveira da Silva, de 26 anos, que foi ferido de raspão no braço e que recebeu alta hospitalar no início da noite.

O delegado titular da cidade de Batalha, Rômulo Monteiro, declarou, nesta quinta-feira, que a situação do município sertanejo é crítica após a execução do vereador Neguinho Boiadeiro. Disse, ainda, que ‘Pretinho Boiadeiro’, um dos filhos da vítima já estaria planejando vingar a morte do pai.

“Neguinho Boiadeiro” (PSD), que era presidente da Câmara de Vereadores, foi morto a tiros na tarde desta quinta-feira. Segundo testemunhas, Boiadeiro foi assassinado por dois homens, que esperavam a sua saída do prédio do Legislativo, onde ele participava de uma sessão ordinária.

Policiais militares que fazem parte do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram enviados de Maceió para a cidade de Batalha, com o objetivo de assegurar a tranquilidade da população, uma vez que o clima entre os moradores é de pânico. Também estão fazendo a segurança das equipes que estão realizando os levantamentos da cena do crime.

Um verdadeiro clima de guerra se instalou na cidade. Informações dão conta de que um grande tiroteio foi registrado em várias partes do município. Segundo testemunhas, a polícia ainda contabiliza o número de mortes e foi colocado fogo na Câmara e na Prefeitura.

Um policial militar - que fazia a segurança de Boiadeiro - também foi baleado e morreu no hospital.

De acordo com guarnição da Polícia Militar acionada à ocorrência, testemunhas informaram que Boiadeiro chegou a ser socorrido para uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos.

Militares lotados em Santana do Ipanema também foram acionados, para realizar aos buscas aos suspeitos.

 Eles foram enviados de Maceió para o Sertão com o objetivo de garantir a tranquilidade no município, bem como a segurança das equipes que estão realizando os levantamentos da cena do crime.

HISTÓRICO - A família Boiadeiro possui um largo histórico de violência. Em novembro de 2016, Emanoel Boiadeiro foi morto por envolvimento em um crime ocorrido 10 anos antes e, segundo a família, foi assassinado sem ter reagido em uma operação policial realizada em Belo Monte.

Também em 2016, a mulher de Neguinho Boiadeiro, Mércia Cavalcante Targino, foi presa em uma operação policial, chamada Operação Cercado. Ela foi autuada, em flagrante, por porte de munição, mas foi libertada, depois do pagamento da fiança, de R$ 2 mil. Na ocasião, foi encontrada na casa de Neguinho Boiadeiro, 12 munições para revólver de calibre 38 e uma para uma arma não identificada.

Em março de 2015, Laercio Boiadeiro assassinou o ex-prefeito de Batalha, José Miguel Dantas. As duas famílias sempre travaram uma forte disputa política no Sertão do Estado.



Compartilhe