Polícia

Prédio da Academia Alagoana de Letras é alvo de criminosos


Fonte: Tribuna Independente / Lucas Franças

28/03/2018 11h18

A sede da Academia Alagoana de Letras (AAL), localizada na Praça Sinimbu, no centro da Capital, foi alvo de vandalismo na madrugada desta terça-feira (27). Durante ação, os criminosos levaram toda a fiação do prédio e vários eletrodomésticos. Além disso, fizeram necessidades fisiológicas no local.

De acordo com o presidente da Academia, Alberto Rostand Lanverly, os criminosos entraram no prédio na noite da segunda-feira (26) e permaneceram no local por no mínimo duas horas.

“Os criminosos cortaram toda a energia elétrica. E isso levou tempo. Além disso, chegaram a quebrar o medidor de energia da Eletrobras. E depois arrancaram toda a afiação. No local  ficou até as pegadas deles. Também arrombou uma porta que dá acesso a biblioteca, mas graças a Deus não levaram nenhum livro e nem mexeram. Porém, da cozinha levaram botijão de gás, cafeteira, bebedouro de água, cortador de grama, luminárias da área externa, motor de ar condicionado e a máquina de lavar piso. Acho que não levaram o fogão porque não deu tempo ou não tinham como levar, mas mexeram”, disse Rostand.

O presidente da AAL comentou que o sistema de segurança do prédio chegou a ser acionado, mas quando os vigilantes da empresa chegaram lá, não encontraram ninguém. As câmeras de segurança foram viradas para a parede. A polícia judiciária vai investigar o caso.

O presidente da academia disse que o furto foi notado na manhã desta terça, por volta das 8h. Logo em seguida, um dos funcionários foi fazer o Boletim de Ocorrência (B.O.) e até a Eletrobras para religar a energia.

“O que tínhamos que fazer já foi feito. As imagens das câmeras estão à disposição da polícia para as investigações. Também estamos em contato com a empresa de segurança. A parte elétrica, ao menos externa foi religada hoje à tarde [terça-feira] e agora é aguardamos”, explicou.

Rostand acredita que o ato foi realizado por pessoas que de alguma maneira conhecem bem o local e que a maior preocupação é que eles voltem e tenha acesso a outras salas.

“A maior preocupação agora é o retorno desse pessoal. Eles não entraram na área da casa principal e nós estamos totalmente sem energia. Eles sabem que tem o que roubar. Por isso, colocamos um vigilante a partir de hoje [terça-feira] para fazer a segurança no local e evitar esse tipo de ação”, contou.



Compartilhe