Polícia

Organização criminosa agia em área indígena de Palmeira, diz SSP


Fonte: Com SSP-AL

06/06/2018 10h46

Os suspeitos presos durante a operação conjunta desencadeada no Agreste de Alagoas usavam uma área indígena localizada em Palmeira dos Índios para traficar drogas. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública na manhã desta quarta-feira (6).

Foram expedidos 50 mandados de busca e apreensão e 21 de prisão, que foram cumpridos em Palmeira dos Índios, Arapiraca, Belém e São Miguel dos Campos. Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital com base no trabalho técnico realizado que detectou a participação dos alvos nas ações criminosas.

Foram detidos Kátia Maria Pinto de Oliveira, Raiane Pinto de Oliveira, conhecida como "Ray", Maria José Feitosa, a "Leninha", Ivoneide Alves Cavalcante, Antônio Viana da Silva, o "Tonho", Daniel Barros Araújo, conhecido como  "Có", Joice Mônica da Silva, Eduarda Priscila Teixeira da Silva, Cícero da Silva, conhecido como "Coroa de Belém".

Também foram presos Jonatha da Silva Leite, e os indivíduos identificados como "Galeguinho", "Vavá", "Lucas", Rafinha e "Bicudo".

A operação, denominada "Xanduca", foi resultado de investigações foram realizadas de forma conjunta pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN) e 10º Batalhão da Polícia Militar. Além disso, a operação contou com a importante participação da população, que realizou denúncias por meio do Disque Denuncia 181.

Os presos foram encaminhados para a Delegacia Regional de Palmeira dos Índios, onde foram autuados pelos crimes.

Participaram da operação equipes do 3º, 7º e 10º Batalhão da Polícia Militar, Batalhão de Operações Especiais (Bope), Radiopatrulha, Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN) , Polícia Rodoviária Federal (PRF), Companhia de Operações Especiais (Copes), além de equipes da 5ª Delegacia Regional, Delegacia de São Miguel dos Campos e Grupamento  Aéreo.



Compartilhe