Polícia

Criança tem dedo cortado por professora após desobediência em sala de aula


Fonte: G1 Piauí

06/07/2018 11h49

Uma mãe reivindica direitos de seu filho, alegando falta de providências por parte da escola acerca de um incidente do ano passado envolvendo a criança de sete anos e uma professora. De acordo com informações do jornal Metro , Camila Barnes foi chamada até a instituição de ensino em que Jason Brandom Jr. estudava depois de o menino ter um dedo cortado pela docente, que fechou a porta da sala de aula na mão do aluno.

Barnes afirmou que mesmo depois de meses do incidente e do filho ter tido parte do dedo cortado , a Academia Henderson, a qual o filho estudava em Detroit, Estados Unidos, não tomou medidas sobre o caso e nem sobre a atuação da professora. Ela informou que entrou com um processo judicial contra a docente, que não teve a identidade divulgada, e que segue aguardando um posicionamento efetivo da instituição de ensino.

Incidente em que criança teve o dedo cortado por professora

Camila relatou que, depois do incidente, a escola entrou em contato com ela alegando “que algo não corria bem com Jason, e que, por isso, deveria comparecer até o local para buscá-lo”.

Chegando lá, a mulher encontrou seu filho com a mão envolta a um pano, sendo informada pela enfermeira que era necessário transferi-lo para um hospital imediatamente. Ela ressaltou que os funcionários do colégio não chamaram uma ambulância para socorrer o garoto, e que teve de utilizar um aplicativo de transporte via caronas para levá-lo ao médico.

 Barnes acrescentou não ter recebido “ao menos um pedido de desculpas” pelo ocorrido, e, por isso, também decidiu recorrer à justiça na tentativa de fazer com que a escola estabeleça melhores políticas e procedimentos em casos semelhantes.

“Encontrei o meu filho com uma ferida exposta, o osso do dedo dele estava nitidamente aparecendo. Me informaram que tudo aconteceu depois da professora fechar a porta quando ele tentou retornar à sala de aula sem sua permissão. Aparentemente ele havia sido expulso por se comportar mal. De qualquer forma, você não pode bater a porta na ‘cara’ de um aluno, isso pode ocasionar algo grave, como o incidente com meu filho. Ele teve o dedo cortadopor falta de profissionalismo da professora, e até agora nada foi feito sobre isso”, concluiu ela em entrevista ao canal WDIV . A Academia Henderson foi procurada pela mídia local e não se pronunciou sobre o caso.



Compartilhe