Polícia

Peritos pedem prorrogação para entrega de laudo de acidente na praia da Avenida


Fonte: Assessoria da Perícia Oficial de Alagoas

30/10/2018 18h37

O Instituto de Criminalística de Alagoas recebeu nesta segunda-feira (29), as últimas filmagens de circuito de segurança do acidente de trânsito ocorrido na Avenida Assis Chateaubriand, no centro de Maceió. Devido a essa demora, os peritos criminais responsáveis pelo caso, Fernando Palmeira e Victor Portela, irão solicitar a prorrogação do prazo de entrega do laudo de local de morte violenta.

Segundo o perito criminal Victor Portela, esse material é de extrema importância para determinar a velocidade do veículo causador do acidente e a dinâmica do fato. Uma substância encontrada no interior da picape, conduzida pela única vítima fatal, Tiago Queiroz Xavier de Barros, 33, também está sendo analisada no Laboratório Forense do Instituto de Criminalística.

De acordo com o artigo 160 do Código de Processo Penal, os peritos criminais são os únicos responsáveis pela elaborarão do laudo pericial, onde eles descrevem minuciosamente o que examinaram no local do fato. Esse laudo pericial deve ser elaborado no prazo máximo de 10 dias, mas pode ser prorrogado, em casos excepcionais, a requerimento dos peritos.

O caso

O motorista da caminhonete Tiago Queiroz Xavier de Barros morreu depois de ignorar um sinal vermelho e atingir sete veículos em um cruzamento na Avenida da Paz, em Maceió, na manhã de sábado, 20 de outubro. De acordo com informações de pessoas que estavam no local, o veículo passou em alta velocidade, batendo contra três motocicletas e três carros que estavam parados. Um dos veículos pegou fogo. O motorista da caminhonete morreu no local e o corpo ficou preso nas ferragens do veículo. Os veículos que estavam parados no sinal eram um Corolla, um Cruze e um HB20. A caminhonete que seguia em alta velocidade era uma Hilux prata. Equipes da Polícia Militar de Alagoas (PMAL), Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atenderam a ocorrência.

O Instituto de Medicina Legal divulgou também que a morte de Tiago foi causada por traumatismo craniano. Apesar de preliminar, o laudo apontou que o traumatismo foi causado pelo impacto do acidente. As outras duas vítimas do acidente foram socorridas e levadas para o Hospital Geral do Estado (HGE) no bairro do Trapiche. José Gerado dos Santos, de 44 anos, e Antônio Pacheco Moreira Neto, de 27, sofreram ferimentos leves e tiveram alta.



Compartilhe