Polícia

Reservatórios usados em pesquisa são roubados da Ufal em Arapiraca


Patrícia Bastos
Fonte: Redação com 7 Segudos

13/03/2019 16h15

Seis caixas d'água que eram utilizadas por estudantes de Agronomia para a realização de pesquisas foram roubadas do campus da Ufal de Arapiraca na madrugada de terça-feira. Os reservatórios, cinco deles com capacidade de 500 litros e outro de mil litros foram doados ao Grupo Irriga, um grupo de estudantes que desenvolve projetos de pesquisa voltados para a irrigação, pela Secretaria de Estado de Agricultura.

"Quando chegamos na universidade na manhã de terça-feira, fomos informados do roubo pelos seguranças da universidade. As caixas eram usadas em um projeto para dissertação de mestrado e estavam armazenando água para irrigação da cultura de palma. Além do prejuízo financeiro, esse roubo trouxe transtornos para a pesquisa", explicou o aluno de Agronomia, Samuel Barbosa, que integra o Grupo Irriga.

Segundo ele, para evitar mais atrasos, os pesquisadores conseguiram baldes de água. "Um dia de atraso em um experimento, é um dia a mais para o encerramento, e existe prazo para que o trabalho seja concluído. O prejuízo financeiro acontece porque, apesar de os reservatórios terem sido doados, não sabemos quando poderemos ter novamente", declarou.

Samuel Barbosa afirmou que, apesar do transtorno, não ficou surpreso com o roubo das caixas d'água. Segundo ele, não é a primeira vez que acontece. "Tínhamos câmeras de segurança, que ao menos coibiam um pouco a ação de bandidos, mas elas estão sem funcionar. Além disso, a quantidade de seguranças atuando no campus é praticamente a mesma desde quando a Ufal começou a funcionar", afirmou.

Segundo o estudante, a coordenação do curso informou o roubo à direção do campus e aguarda que as providências sejam tomadas.

A assessoria de comunicação da Ufal declarou que a direção não foi formalmente informada sobre o episódio, mas pretende, o quanto antes, iniciar os trâmites para que seja feita reposição dos reservatórios. Em relação às câmeras de segurança, eles declararam que houve uma substituição dos equipamentos, mas o campus não ficou sem monitoramento.



Compartilhe