Polícia

OAB/Arapiraca faz parceria para ajudar na reabilitação de Marizete Oliveira


Fonte: Assessoria

22/08/2019 11h57

A vítima de assalto que teve dois dedos da mão direita decepados, Marizete Maria Oliveira, deu mais um passo em sua recuperação. Nesta quarta-feira iniciou as sessões de fisioterapia, promovidas em parceria pela OAB/Arapiraca e o fisioterapeuta Jimme Costa. As sessões têm como foco a reabilitação e a readaptação ao dia a dia.
“Depois de tudo que ela passou há menos de um mês, vê-la sorrindo e disposta a se recuperar, mostra o quanto ela é uma mulher forte. Nesse período que tenho acompanhado, vejo que ela é uma pessoa boa de verdade. Mesmo todo o trauma que ela passou não tirou a bondade do coração dela”, afirmou a presidente da Comissão da Mulher, Cristiane Lúcio, que tem acompanhado Marizete desde os primeiros dias após o assalto.


A situação vivida por Marizete sensibilizou da OAB/Arapiraca. Dias após o assalto, o presidente da Subseção, Hector Martins, fez uma visita à vítima de assalto e, desde então, enquanto a Comissão de Direitos Humanos, por meio do presidente Márcio Alberto, acompanha as investigações sobre o caso, a Comissão da Mulher tem ajudado a vítima com o tratamento dela. Além de acompanhar em consultas e garantir a medicação, parcerias com a psicóloga Thayse Deles, que está fazendo terapia para ajudar a vítima a lidar com traumas, a OAB/Arapiraca fez parceria também com o fisioterapeuta Jimme Costa.


“O fisioterapeuta já é conveniado da OAB e fizemos proposta a ele para ele dar um desconto para a Subseção custear as sessões para a Marizete. Mas ele resolveu fazer as sessões de graça. Garantiu que ela vai fazer as 20 sessões e até mais, se for necessário. Nós ficamos muito felizes em ver uma corrente do bem se formando para ajudá-la. Além da fisioterapia e do tratamento psicológico, outras pessoas também estão ajudando”, declara Cristiane Lúcio, se referindo à campanha iniciada pela Subseção para arrecadação de recursos para Marizete e a família, que passam por dificuldades financeiras desde o assalto. A advogada conta que depósitos feitos na conta da vítima estão ajudando ela a comprar os remédios receitados pelos médicos. 
Marizete expressou seu reconhecimento pela ajuda que têm recebido. “Não tenho palavras para expressar o tamanho de minha gratidão, não há nada que pague tal generosidade. Saber que em um mundo tão sombrio existem pessoas de luz, tais como você, que como um anjo divino trouxe alegria para meu coração tão machucado. Obrigada por fazer parte da minha vida nesse momento difícil e peço a Deus que a nossa amizade continue por toda eternidade”, afirmou a vítima, em mensagem endereçada a Cristiane Lúcio.

Foto por: Assessoria


Compartilhe