Política

Implantação: obras seguem avançando com pre-stripping do Projeto Serrote


Fonte: Assessoria

02/07/2020 09h45

Mais um importante passo está sendo dado no Projeto Serrote da Mineração Vale Verde (MVV), situado entre as cidades de Arapiraca e Craíbas, no interior agrestino de Alagoas.


Já foram movimentados mais de 1 milhão de toneladas de material no pre-stripping do Projeto.

Mas o que seria “pre-stripping”? Também conhecido tecnicamente como “decapeamento”, é a retirada das primeiras camadas (ou “capas”) de material da mina, antes que seja feita a lavra do minério. No caso da MVV, o minério de cobre.

O CEO da Appian Capital Brazil, Paulo Castellari Porchia, comemorou o feito — o grupo de investimentos Appian é o controlador da MVV no país.

“Atingimos isso de forma segura e responsável! A nossa última meta para este ano é justamente a conclusão do plano de lavra para 2020, com uma movimentação total de 4,3 milhões de toneladas até dezembro. Essa importante etapa, associada às outras metas já entregues, é mais um exemplo da disciplina e da resiliência que o nosso time vem apresentando, que, mesmo em meio a tantos desafios, tem mantido o nosso objetivo em mente”, pontua o CEO.

Vale ressaltar que a MVV já alcançou cinco dos 10 alvos que traçou para este ano com o seu programa #AtingindoMetas. Todos dentro do prazo, com engajamento de todos os empregados e excelência nas entregas e nos serviços prestados. E o mais importante: zero acidentes.

DESMONTE
E diante do pre-stripping acontecendo, já é possível iniciar o desmonte controlado. Com as detonações feitas para a fragmentação das rochas, o Projeto inaugura assim um novo ciclo em sua implantação.

Josenildo dos Santos, técnico de Mineração da MVV, foi quem teve a honra de acionar o botão do primeiro desmonte – sob orientação dos especialistas.


Natural de Craíbas, ele está na MVV desde 2008 e se soma a centenas de outros alagoanos que estão trabalhando diretamente na implantação do Projeto.

Sobre os desmontes, as comunidades vizinhas ao empreendimento estão sendo avisadas com antecedência pelas vias de comunicação disponíveis da MVV. No local das atividades, foram também colocados sismógrafos, a fim de registrar eventuais vibrações na região. Acessórios de alta tecnologia permitem essa execução com total segurança e controle.

Em 2019, por meio do Diálogo Social — projeto da MVV que envolve as 14 comunidades próximas ao Projeto —, aconteceram palestras e esclarecimentos justamente sobre o tema “Controle de Ruídos e Vibrações”.

SOBRE A APPIAN
Desde 2018, 100% do capital da MVV pertence a um fundo de investimentos administrado pela Appian Capital Advisory LLP focado em mineração. O fundo também possui um ativo no Brasil no município de Itagibá (BA), denominado Atlantic Nickel, com foco na produção de concentrado de níquel sulfetado e capacidade nominal de 120 mil toneladas/ano, que voltou a operar em janeiro de 2020. Sediada em Londres, a Appian possui ainda escritórios em países como África do Sul e Canadá. 



Compartilhe