Política

“Quando Julio Cezar assumiu a prefeitura, deu as costas a quem lhe deu a mão”, afirma Mosabelle Ribeiro


ÉDER PATRIOTA
Fonte: Redação

09/07/2020 07h49

Enfermeira concursada no município de Anadia há 11 anos, professora universitária e ex-primeira dama de Palmeira dos Índios durante os oito anos de mandato do seu esposo James Ribeiro, Mosabelle Ribeiro é pré-candidata a prefeita de Palmeira e falou ao Jornal de Arapiraca, com exclusividade, sobre o atual gestor e seus planos para administrar o município.

 

“Sou pré-candidata porque acredito na boa política. Sei o quanto ela pode contribuir para melhorar a vida das pessoas mais humildes. Dediquei a maior parte da minha vida à área social, que é a minha vocação. Sempre foi assim. Mas quando tive a oportunidade como primeira dama, nosso trabalho chegou mais longe. Cuidamos mais das pessoas. Pudemos fazer mais. Essa é a boa política. Hoje eu vejo as pessoas mais humildes abandonadas. Faltam políticas publicas. Falta assistência e respeito”, explica a pré-candidata pelo PTB.

Sobre a possível divisão da oposição ao atual prefeito Júlio Cezar, com a provável disputa de três mulheres no pleito eleitoral - a deputada estadual Ângela Garrote, a ex-juíza de Direito Sônia Beltrão e Mosabelle Ribeiro -, a esposa de James Ribeiro foi enfática.

“Não existe divisão de oposição. Só existe uma oposição. Em todos os momentos nós apontamos os erros desse governo. Apresentamos caminhos, alertamos, combatemos essa administração que só se resume a propaganda. Não tem um projeto apresentado. Não tem um plano a seguir. Faz apenas propaganda e a política do toma lá dá cá, do balcão de negócios. Essa é a grande verdade”, afirma Mosabelle.

Em relação aos principais erros da atual gestão, a ex-primeira dama disse que são inúmeros. “Primeiro, ele loteou a prefeitura. Segundo, descumpriu tudo que prometeu na campanha. É muito difícil que exista uma casa em Palmeira que na campanha passada ele não tenha prometido um emprego na prefeitura, caso ele ganhasse a eleição. Prometeu reabrir a emergência do hospital. Prometeu gerar empregos. Prometeu apoiar o homem do campo. Pois bem, ele cumpriu? Não. Por isso não consegue olhar nos olhos do povo. A mentira virou método de governo”, justificou.

Analisando a possibilidade de só se debater as propostas de campanha para os eleitores palmeirenses pelas redes sociais, Mosabelle Ribeiro, considera esse método algo misterioso.

“Pouca gente acessa a internet no município e ele pode não se revelar tão eficiente nessa atual pandemia do coronavírus, porém a abordagem corpo a corpo com o eleitor ainda é muito eficiente, contudo a eleição virtual é uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por conta da atual pandemia do Covid-19”, disse.

Por fim, Mosabelle Ribeiro citou um pouco de seu programa de governo, caso seja escolhida pelo PTB para disputar a prefeitura de Palmeira dos Índios.

“O partido está construindo um programa de governo. Estamos ouvindo as pessoas, debatendo. Caso se decida na convenção por minha candidatura, a prioridade será fazer uma verdadeira revolução na área social, tendo como foco a retomada do emprego, escola de qualidade e um sistema de saúde que cuide de verdade das pessoas. A cidade tem muitos problemas, a começar pela coleta de lixo irregular. Não vemos mais grandes obras. A construção civil, que é uma grande geradora de empregos, está paralisada. A pandemia do coronavírus mostrou a verdadeira face do governo da propaganda. O prefeito não pode mais fazer festas para desviar a atenção dos problemas da cidade, que agora estão a olhos vistos. E o mais grave deles é o sucateamento que aconteceu na saúde. Um desmonte. É um caos. O povo vai mudar essa triste e atual realidade”, acredita a pré-candidata ao governo de Palmeira dos Índios.



Compartilhe