Política

Uma cadeira quase vazia e oito de olho nela!


Carlo Bandeira

03/09/2020 12h49

 

     Misturou tudo! A morte do prefeito de Arapiraca, Rogério Teófilo, mesmo tendo a sua gestão, uma avaliação popular negativa, embaralhou os quatro cantos dessa cidade.

     Não há de se negar a comoção popular ocorrida com o sofrimento do prefeito falecido, que enfrentou um diagnóstico de câncer, na cadeira do executivo,  mesmo contra as recomendações médicas e pedidos dos familiares e amigos para que se afastasse do cargo. As dificuldades imensas enfrentadas, por Rogério Teófilo, residiam no seu tratamento para debelar a enfermidade grave, e a gestão do dia a dia de sua administração. Muitos afirmam que esse comportamento do prefeito foi preponderante para a “causa mortis”. Um problema de saúde trouxe outro, consequência de um vírus que parou o mundo inteiro, infectando as pessoas com a covid-19. Mas, o prefeito não resistiu a tal empreitada. Com sintomas da gripe “covidiana”, fragilizado pelo tratamento de um entupimento na ligação do pâncreas com o fígado, foi internado, mas não resistiu.

Mesmo assim, consternada, a população assiste de camarote as estratégias e maquinações das futuras candidaturas.

     No mínimo 8 pretendentes ao cargo, hoje exercido por Fabiana Pessoa, vice-prefeita empossada depois do falecimento de Teófilo, e uma de suas mais questionadoras, quanto a sua condição de gerir a coisa pública naquele momento, chegando a pedir insistentemente à Câmara de Vereadores arapiraquense, o seu afastamento.

Contudo, a vida prossegue, e os interesses de grupos políticos em administrar a segunda maior cidade do estado, também.

A hora de se mostrar forte chegou mais cedo do que imaginávamos.

Nessa eleição, fatos inusitados concorrem para tornar a campanha que se aproxima ainda mais peculiar; duas mulheres almejam essa cadeira, a atual prefeita empossada e uma vereadora de mandato. Outro fato; integrantes do mesmo partido se digladiando para ser o candidato consensual da legenda, tendo um vice-governador causador desse embate, e um deputado estadual na berlinda.

As possibilidades se voltam para tantos outros. Novos aspirantes à liderança se revezam na disputa pelo voto, com os malabarismos de sempre. Muita mídia e propaganda de suas intenções, para salvarem Arapiraca.

Novos personagens proclamam suas vocações para o cargo. E Arapiraca prossegue  a sua trajetória de capital do Agreste e Sertão de Alagoas.

Nessa pandemia, sabemos que nada vai ser igual como era dantes. Eleição prorrogada, desânimo do eleitorado, desobediências aos protocolos de isolamento social, infringidos pelas pré-candidaturas, que em alguns casos, colocam em risco a saúde dos eleitores.

Aguardemos os acontecimentos, pois debaixo dessa ponte, muita água vai rolar.

Que Deus nos alivie e nos ilumine!



Compartilhe