O governador Renan Filho está na lista dos sete governadores que estarão reunidos com o presidente Jair Bolsonaro para discutir o toque de recolher nos estados. A medida foi anunciada dentro do pacote de prevenção para frear a infecção da Covid-19 em Alagoas e também em alguns estados. 

Segundo a coluna Painel da Folha de São Paulo, Renan Filho é o único da lista que não anda alinhado com o presidente, mas também nunca teve nenhum "desentendimento" público. 

Bolsonaro mirou o toque de recolher e entrou até uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar a medida nos estados da Bahia, Distrito Federal e Rio Grande do Sul. Por outro lado, o ministro Marco Aurélio Mello rejeitou a ação e ainda completou: 

"Ante os ares democráticos vivenciados, impróprio, a todos os títulos, é a visão totalitária. Ao Presidente da República cabe a liderança maior, a coordenação de esforços visando o bem-estar dos brasileiros", frisou o decano. O trecho é um duro recado ao chefe do Executivo, que tem procurado se isentar das responsabilidades na condução da crise.