Política

Educação pode parar também em Girau do Ponciano


Carlos Alberto Jr.

14/07/2017 11h42

Mais uma cidade do Agreste alagoano pode ter as atividades da Educação municipal paralisadas nos próximos dias. Trata-se de Girau do Ponciano, onde os trabalhadores esperam o reajuste de 7,64%, já assegurado pela Prefeitura no dia 30 de maio passado, mas ainda não concedido de fato.

Segundo os profissionais, menos de 3% foram repassados, mas apenas para os professores. Os demais servidores da Educação, como merendeiras e pessoal da limpeza, por exemplo, ainda não receberam.

O professor José Monteiro da Silva Junior, frisou ao Jornal de Arapiraca que, além da questão salarial, os trabalhadores também reivindicam outros pontos, como a falta de professores na rede municipal e também o descumprimento do 1/3 da hora-atividade. Este ponto trata do quantitativo de horas em que o professor fica na sala de aula e o proporcional para elaboração de planos de aula e correção de provas, por exemplo.

Apenas promessa

Ainda no dia 30 de maio, o secretário de Educação de Girau do Ponciano, Dênis Carlos, assegurou, em nota divulgada à imprensa que a categoria teria o reajuste. O anúncio aconteceu logo após uma reunião com servidores e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Alagoas (Sinteal). 

Na oportunidade, o gestor enfatizou o esforço realizado pelo prefeito David Barros, no sentido de “garantir tal reajuste em meio à crise enfrentada pelos municípios alagoanos, valorizando e estimulando, mesmo diante do momento vivido, o profissional da Educação, reconhecendo assim, sua importância na missão de educar e transformar a realidade girauense”, argumentou na nota.

No mesmo sentido, ressaltou a iniciativa do gestor, em ter garantido o pagamento do 1/3 de férias constitucionais referentes ao exercício de 2016. “Com essas ações o ‘Governo Construindo o Futuro Hoje’ reafirma seu comprometimento com a Educação, primando pela valorização profissional, reestruturação do Sistema Municipal de Ensino e pela dignidade e o respeito que profissionais, alunos e componentes da comunidade escolar girauense merecem”, frisou o secretário.

Como as promessas não foram cumpridas pelo município, até o momento, o Jornal de Arapiraca tentou manter contato com o secretário de Educação, mas não obteve êxito, até o início da noite de ontem. Um dos assessores do gestor, disse à reportagem por telefone que Dênis Carlos estava em reuniões durante o dia, mas iria manter contato, o que não ocorreu.



Compartilhe