Política

Agora foi danado...


Carlo Bandeira

07/12/2017 10h40

Alagoas parece estar passando por um pente fino, pelo menos, no que diz respeito às investigações e acerto de contas para quem não acertou as contas do jeito que a legalidade exige. Vários políticos alagoanos; prefeitos, agentes administrativos, deputados  federais e estaduais, senadores, e o ex-governador, estão sofrendo investigações, alguns  por flagrante delito e outras investigações iniciadas pelo instituto da delação; atual febre que ataca a classe política brasileira.

Com um espanto silencioso, os alagoanos acordaram nessa quinta-feira(30), com notícias dando conta de uma operação de busca e apreensão  da Polícia Federal, em Maceió, e justamente em imóveis de propriedade de um ex-governador. As operações parecem estar dando resultados práticos.

 Alguns gestores municipais, digo prefeitos, foram parar na cadeia.  Os que não foram vítimas de delação, foram presos por provas irrefutáveis, e ainda, outro prefeito por flagrante delito; fora filmado recebendo propina em sua residência, vídeo amplamente divulgado nas redes sociais e imprensa digital. Em Alagoas, as Polícias federal e estadual, como também, a justiça, andam todos muito ocupados.

 Não é só aqui, contudo, figuras, antes intocáveis, estão na mira de inquéritos policiais e ações judiciais para as devidas explicações do uso do dinheiro público. Mas também há deputados que relutam em comparecer às oitivas, interrogatórios na polícia, por motivos ainda não explicados. Por outro lado, o resultado do não comparecimento provocou o indiciamento, pela Polícia Federal, na Operação Sururugate, dos dois deputados estaduais.

 A bruxa tá solta. Em um ano que antecede as eleições para cargos estaduais e federais, e perto da temporada de caça ao voto, os políticos de Alagoas estão pisando em casca de ovo, aliás, políticos do Brasil inteiro. Com suas imagens comprometidas pelas investidas do aparelho policial e do corpo da justiça, há de aparecer uma condição para os eleger, ou pelo menos, participar das eleições.

Os ventos da impunidade parecem estar baixando a poeira e mostrando mais claramente a nossa fragilidade perante o poder por nós constituído, aos representantes da sociedade. Sem depredações à moral de quem não tem culpa no cartório, entraremos em atividade; voltaremos a ser importantíssimos.

Pois o eleitor de ogra por diante é a peça mais cobiçada deste processo eletivo.  O segredo para continuarmos importantes, enquanto povo, será votar na última hora no dia 7 de outubro de 2018. Quem vota cedo perde a importância. Quem vota errado ganha mais 4 anos de desilusão. Provavelmente, iremos às ruas para votar o voto da esperança em dias melhores para todos nós, e não, para todos eles.Agora foi danado...



Compartilhe