Política

Deputados se mobilizam para trocar de partidos


Fonte: Com : Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

07/03/2018 09h25

partir desta semana os partidos intensificarão a caça de candidatos. A janela partidária, período de 30 dias em que deputados federais, estaduais e senadores são livres para trocar de legenda sem o risco de punição, começa nesta quarta-feira (7) e vai até 7 de abril.

 Alguns parlamentares na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), e eles foram quase unânimes em dizer que ainda estão estudando as possibilidades.

Dono da maior bancada na ALE, com 11 parlamentares, o MDB deve sofrer uma possível redução, de ao menos cinco candidatos, que pretendem buscar à reeleição, mas que devem permanecer dentro do bloco que apoia o governador Renan Filho (MDB).

Os deputados ainda não confirmam a saída, mas de acordo com a apuração da reportagem na própria Assembleia Legislativa, estariam estudando alguns convites para mudanças partidárias: Davi Davino Filho; Jairzinho Lira; Marquinhos Madeira, que deve sair para dar a oportunidade ao pai Marcos Madeira (MDB), ex-prefeito de Maragogi; Ronaldo Medeiros; e Thaíse Guedes. A justificativa para a saída do partido seria a forte chapa que inviabilizaria a reeleição de alguns deles.

À reportagem, Medeiros garantiu que está no MDB por enquanto, mas que logicamente cada parlamentar quer buscar uma estrada melhor para chegar até o seu destino.

“Estou estudando ainda e vendo como serão as composições, até porque hoje um deputado de mandato mudar de partido é muito difícil, pois os outros que não estão na Casa estão formando composições. Eles não abrem as portas para maioria dos parlamentares. Hoje há uma mobilização de quem vai disputar mandato não dispute numa mesma chapa com quem já tem”, argumenta.

Mais contido que Medeiros, Jairzinho Lira também disse estar avaliando cenários e estudando as possibilidades e que irá discutir o assunto com o governador Renan Filho.

“Vou discutir com mais tranquilidade com o governador e com algumas pessoas da minha base para saber que partido ou qual destino tomar. Ainda está muito cedo. Eu vejo que as eleições em Alagoas serão bastante disputadas em qualquer partido e você terá que está preparado para disputar”.

Jó Pereira à disposição para ser a vice de Renan Filho

A deputada Jó Pereira, que foi eleita em 2014 pelo Democratas (DEM) e logo após se filiou no MDB, garantiu que não deixará o partido e destacou a importância da sua presença dentro da Assembleia Legislativa.

“Historicamente, até hoje, só fiz parte de dois partidos que foi o antigo PFL que virou Democratas e que por ele fui eleita, e agora o MDB. Acho que eleição a gente tem que trabalhar para aquilo que foi eleito. Os quatro anos de mandato fazem a base necessária para sua eleição seja qual cargo for. Acho que nesses três anos e meio pude mostrar que eu sou capaz de discutir aqui dentro da Assembleia e ainda mais representar a mulher alagoana.”

Sobre as especulações de que a deputada poderia compor como vice-governadora na chapa que será encabeçada pelo governador Renan Filho,  Jó Pereira, ressaltou que a sua intenção é ir para a reeleição, mas que está à disposição do partido.

“Especulação sempre existe, como teve a que a minha irmã [prefeita de Campo Alegre, Pauline Pereira] seria vice do Rui Palmeira [prefeito de Maceió]. Acho que pelo histórico de atuação do grupo político ao qual eu faço parte, as pessoas podem entender que isso não teria possibilidade. Se for necessário que eu vá para o cargo de vice-governadora, aí não cabe a eu tomar essa decisão. O cargo de vice é de composição político-partidária e dentro dessas composições, se passar pelo meu nome, estarei à disposição do governador”.

GILVAN BARROS FILHO

Na Assembleia Legislativa, constam algumas informações sobre as mágoas do deputado Gilvan Barros Filho com o seu atual partido, o PSDB. O parlamentar pretende deixar a sigla com a abertura da janela partidária.

Apesar de ser do PSDB, Gilvan não é considerado oposição ao governo de Renan Filho e sua ida para algum partido da base do governador é bem vista por seus aliados. Filiado ao Pros, o deputado Bruno Toledo segue presidente do partido na disputa pela reeleição.

FEDERAL

No âmbito federal, o deputado Givaldo Carimbão (PHS) teria tentado se filiar ao Partido Ecológico Nacional (PEN). O parlamentar iria aproveitar a janela partidária para migrar, mais uma vez, de legenda. No entanto, a saída do PHS para o PEN não deu certo. A direção do partido em Alagoas não concordou com algumas pré-condições sugeridas pelo deputado federal. Carimbão já anunciou que irá disputar novamente o cargo de deputado federal e seu filho Carimbão Júnior, o de estadual.



Compartilhe