Política

Sinteal-Agreste volta a pedir ajuda à Câmara Municipal de Arapiraca


Carlo Bandeira
Fonte: Redação

12/05/2018 12h07

A Câmara de Vereadores de Arapiraca recebeu, em uma Tribuna Livre, dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal), núcleo do Agreste, e profissionais da Educação do Município.

A vereadora Graça Lisboa, que recebeu e convidou para a Mesa Diretora o Presidente André Luiz e o seu vice Paulo Henrique.

Paulo Henrique abriu o momento das explanações sobre a atual situação que vive a Educação do Município, e pediu mais atenção da Secretaria de Educação para os graves problemas ainda existentes na pasta.

Os representantes do Sinteal, também pediram a cópia do contrato com a Fundação Getúlio Vargas, que está assessorando a Secretaria Municipal de Educação.

Dois aspectos ficaram bem claros, ante a indignação dos profissionais da Educação, que pediram à Administração Municipal, na presença dos vereadores presentes, uma cópia do contrato feito com a fundação Getúlio Vargas. Eles querem saber como vai ser o pagamento da Prefeitura pelos serviços prestados pela Fundação, se com recursos próprios ou se tirados do Fundeb –  Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação. Outro questionamento levantado pelos dirigentes foi o não aproveitamento de profissionais do município, já que nos quadros da Rede de Ensino Municipal tem profissionais à altura de realizar os mesmos trabalhos que serão desenvolvidos pela FGV. “E por que não fomos convidados”? indagou Paulo Henrique, vice-presidente do Sinteal.

“Não houve, por parte da prefeitura, confiança nem valorização pelos profissionais de Arapiraca”, afirmou o presidente do Sinteal-Agreste, André Luiz.

Outro assunto abordado pelo presidente do Sinteal foi com relação ao grande número de profissionais da Educação que enfrentam problemas sérios de saúde, como depressão e até a síndrome do pânico. Arapiraca aparece em primeiro lugar no ranking nacional, com professores que desenvolveram a depressão, segundo o dirigente.

Depois das indagações dos dirigentes sindicais, foi facultada a palavra para o público presente, os profissionais da Educação.

Uma professora denunciou o tráfico de drogas que está havendo nas escolas. E citou a Escola Trinta e Um de Março como uma das mais atacadas pelo tráfico. Pediu urgência nas providências que devem ser tomadas.

Outro assunto abordado foi o transporte dos professores, que hoje penaliza os profissionais da Educação e tampouco satisfaz  as necessidades, tendo professor que pagar para trabalhar.

Vários professores fizeram o uso da palavra. A merenda foi outro tópico polêmico; “os alunos estão comendo bolacha com suco ou café, e só”, alertaram alguns professores.

O calendário é outra preocupação, que como todos sabem, está bastante prejudicado pela greve no início da atual gestão.

Outra polêmica surgiu quando um dos professores se referiu ao Plano de Cargos, carreira e Salários da Educação do Município de Arapiraca, afirmando que até agora não se tem nada de concreto.

A vereadora Graça Lisboa, pediu a palavra; “Agora falo também como educadora, não podemos esperar que a Administração formule um plano para todos da Educação. Eu me proponho como todos os meus pares a definir um dia por mês, ou quantos forem precisos, para que nos reunamos e comecemos, o mais rápido possível, a construção do Plano de Cargos e Carreira da Educação. E quando estiver pronto levaremos, todos, a sugestão formulada pelos próprios profissionais ao prefeito Rogério Teófilo.

Entre os vereadores presentes, Moisés Machado, Rogério Nezinho e Sérgio do sindicato, que fazem oposição a atual gestão, além de lembrarem o mau momento da Administração Municipal, reafirmaram o apoio à categoria e aceitaram de pronto o chamamento da presidenta Graça Lisboa para a reunião mensal com o Sinteal.

Disseram sim também para o chamamento a Vereadora Sinielza e Gilvânea Barros, e o secretário da mesa diretora, Vereador Melquisedec.

Ao final, Graça Lisboa, garantiu para os dirigentes e profissionais da Educação Municipal, que levará todas as questões que foram discutidas e expostas ao conhecimento do Gestor.

Afirmou ainda que confia no prefeito Rogério Teófilo, e por isso cobrará e acompanhará, junto com os vereadores, as providências e as respostas que serão formuladas pela Secretaria de Educação.

Foto: Carlo Bandeira
Foto: Carlo Bandeira


Compartilhe