Política

Vereadores querem informações sobre contratos milionários com as OSCIPS


Carlo Bandeira e Roberto Baia
Fonte: Redação

25/05/2018 08h30

Os cinco vereadores, Moisés Machado, Léo Saturnino, Fábio Henrique, Sérgio do Sindicato e Rogério Nezinho, todos de oposição à administração do atual prefeito de Arapiraca, Rogério Auto Teófilo, formalizaram requerimento  pedindo informações sobre  contratações de ONGs – Organização Não Governamental, que firmaram parcerias com a Administração Municipal, para gerenciar a contratação de funcionários para a prestação de serviços à Prefeitura Municipal de Arapiraca.

Segundo os vereadores, chega ao conhecimento, dos parlamentares, a má gestão dos recursos dirigidos ao pagamento dos servidores públicos contratados. Os denunciantes reclamam de corte nos seus salários, pagos pela prefeitura e repassados pelas ONGS, chegando a 50% de perda nos proventos dos servidores, que foram pagos por uma OSCIP - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público.

Os vereadores alegam que não houve nenhum comunicado, para o legislativo arapiraquense, a respeito da contratação dessas Oscips(ONGs).

Não se sabe os critérios dessas contratações. Se houve licitação,  ou inelegibilidade de licitação, ou dispensa. O fato é que os funcionários contratados por essas organizações estão sendo lesados em seus vencimentos, complementou Moisés Machado e Léo Saturnino.

Fábio Henrique, em declaração ao jornal de Arapiraca, informou que há três valores repassados para essas Ongs  (OSCIPs), nos valores de R$ 18.000.000,00, R$ 7.000.000,00 e R$ 2.000.000,00, respectivamente.

Rogério Nezinho e Sérgio do Sindicato questionaram os valores repassados para essas organizações, sem que o poder legislativo tenha tido o devido conhecimento e  a devida aprovação.

Os vereadores não se conformam com as denúncias feitas por garis, profissionais lotados na Educação, entre outras secretarias,  e ao final do mês quando recebem o pagamento, constatam  a retirada de parte de seus salários, em alguns casos chega a ser descontados a metade dos vencimentos, concluiu Moisés Machado.

“Quais os critérios para contratação dos servidores mantidos pelas ONGs (OSCIP), e pagos com o dinheiro público, repassados pela atual Administração”, questionam os vereadores. Segue na íntegra o requerimento e parte do texto do requerimento formalizado pelos vereadores que assinam o documento.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação


Compartilhe