Política

PREFEITO É ACUSADO DE SEQUESTRAR, ESTUPRAR E ARRANCAR PARTE DO CABELO DE NAMORADA DE DEPUTADO


Marcos Filipe
Fonte: Redação

10/08/2018 10h14

O nome do prefeito de Maribondo, Leopoldo Pedrosa, está envolvido mais uma vez em confusão. Desta vez ele está sendo acusado por Dudu Hollanda (PSD) de ter sequestrado e agredido Meiry Emmanuella de Oliveira Vasconcelos, ex-esposa do gestor e atual namorada do deputado.

Hollanda disse que o sequestro aconteceu na noite do dia 3, nas proximidades de um supermercado de Maceió por dois homens encapuzados para um cativeiro em local desconhecido, onde permaneceu até a manhã da segunda-feira (06) ficando 48 horas incomunicável.

De acordo com Dudu, a namorada foi encontrada nos fundos do condomínio onde reside uma irmã dela, no bairro da Serraria, na capital.

No relato da vítima, Leopoldo participou da sessão de tortura, com agressão, arrancado até partes dos seus cabelos, junto com os dois homens, e teria ameaçado ela e Dudu.

Na denúncia, Dudu Hollanda disse que Emmanuella foi “humilhada, espancada e estuprada”.

O secretário de segurança pública, Lima Júnior, determinou a investigação do caso e irá convocar os envolvidos para prestar esclarecimentos.

Esta não é a primeira vez que Leopoldo está envolvido em confusão. No ano passado ele foi preso em uma operação deflagrada pela Polícia Civil. O prefeito era acusado de agredir Meiry no dia 21 de junho.

Ela já havia conseguido uma medida protetiva contra ele e o gestor era monitorado por uma tornozeleira eletrônica para não se aproximar da vítima. A polícia informou da existência de dois boletins de ocorrência que acusavam Leopoldo de violência doméstica. Em uma das oportunidades, ele teria agredido, inclusive, a sogra.

Em 2008, Leopoldo foi condenado por porte ilegal de arma de fogo, o que não o inibiu de manter, em sua casa, um pequeno arsenal composto por uma espingarda calibre 12, um carregador de pistola, sete cartuchos calibre 12 e 20 projéteis calibre 380. O material foi apreendido quando de sua prisão em flagrante no ano passado.

Pedrosa também responde a ação penal pelos crimes de embriaguez ao volante e uso de documento falso.

Problemas enquanto prefeito

No final do ano passado, Leopoldo Pedrosa recebeu da Justiça de Alagoas um mandado de notificação sobre uma ação de improbidade administrativa. O autor da denúncia é a própria prefeitura, que foi comandada de julho até o início de outubro pelo vice Sérgio Marques.

Em um dossiê de mais de 700 páginas, Marques apresentou diversas irregularidades supostamente deixadas por Pedrosa nos primeiros seis meses de governo. Entre elas estaria a reforma do Posto de Saúde Josefa Titara, unidade hospitalar que apresenta falhas estruturais. Segundo a documentação encaminhada à Justiça, a empresa contratada recebeu R$ 125.738,05 do município, mas sequer efetuou o serviço.

O mesmo aconteceu na Escola Municipal Antônio Bonfim. O vice-prefeito destacou em documentação que “não há como afirmar semesma apresenta defeitos”.

A suspeita é que mais R$ 139.382,52, valor da obra, tenham sido desviados dos cofres públicos. Outra possível irregularidade identificada foi quanto à aquisação de merenda escolar.

“O que causa estranheza é o fato de que o contrato fora assinado no dia 19 de janeiro, período de recesso escolar, havendo tempo hábil para realização do procedimento licitatório regular, no entanto, a administração à época fundamentou a referida aquisição por atendimento emergencial, contrariando a legislação vigente e incorrendo na chamado ‘emergência fabricada’”, frisou em relatório.

Mesmo a empresa tendo sido contratada irregularmente, foram feitos diversos pagamentos, no valor total de R$ 278.173,21.

Foto: Internet


Compartilhe