Política

Entre adeus e abraços!


Carlo Bandeira
Fonte: Redação

26/10/2018 10h26

Adeus para os que não foram, e um grande abraço para os que estão chegando.

Nessa eleição para deputados, em Alagoas, algumas surpresas anunciaram novos rumos e ânimos do eleitor alagoano.

Nomes carimbados na política, deste Estado, ficaram de fora da Casa Tavares Bastos e do Congresso Nacional.

Carimbão; parece não ter sido abençoado pelos poderes de Maria, talvez tenha sido por alguns pequenos pecados cometidos. Ficou de fora. Não voltou para Brasília. O seu filho, Carimbinho Junior, parece estar pagando pelos mesmos pecados, não voltou para a Casa Tavares Bastos, foi uma surpresa! Será que foi?

Ronaldo Lessa, governador por dois mandatos, e deputado federal de primeiro mandato, também ficou na porta da Câmara Federal como primeiro suplente, aguardando uma vacância para assumir.

Grandes nomes, baluartes das eleições locais, frustraram suas próprias expectativas de eleição ou reeleição.

A derrota mais espantosa para os eleitores, principalmente, eleitores de Arapiraca, foi a pouca votação que teve Célia Rocha. Prefeita de Arapiraca por três mandatos, e deputada federal, que deixou o mandato para ser eleita prefeita pela terceira vez, amargou os números da verdade, que lhe valeram uma votação de pouca expressão. Verdade que seu staff, sua assessoria não esperava.

Vendo a desproporcionalidade e o despreparo da sua campanha, foi procurada por admiradores com intuito de ajudá-la, Célia ouviu de um desses admiradores, que sua campanha estava fora do foco do discurso que alimentou os embates políticos. Mas, não os atendeu mais.

Porém, o grande vitorioso saiu de um sobrenome amado e ainda aclamado, Rodrigo Cunha, filho da saudosa deputada Ceci Cunha.

Rodrigo ultrapassou as expectativas da nata política alagoana. Com uma votação estrondosa, Rodrigo se afastou do marketing político, e aderiu à verdadeira forma de se comunicar com o eleitorado; Comunicação de interesse público, aquela que além de informar, pleiteia e incentiva o julgo de quem recebe a informação.

Alguns recados vêm esclarecer ou disfarçar as expectativas do povo.

Vamos ao segundo turno neste domingo, 28. Em jogo, duas frentes, duas maneiras de se ver o Brasil.

O que menos se acreditava parece estar acontecendo. A massa de manobra, o gado dirigido, o povo eleitor, parece contar com outros valores na cabeça para exercerem o direito do voto.

Que tá mudando, isso tá. Agora, se tá mudando pra pior, ou melhor, só daqui a quatro anos saberemos se foi bom ou se não foi.

O recado está e ainda será dado. Aguardemos!



Compartilhe