Política

Jornalistas destacam personalidades do passado e do presente na série Memória Viva de Arapiraca


Carlo Bandeira
Fonte: Redação

11/04/2019 10h54

Jornal de Arapiraca lança, ainda neste mês, a série “Memória viva de Arapiraca”, que apresentará a linha do tempo dos grandes nomes que fizeram ou ainda fazem parte do desenvolvimento da Cidade fundada por Manuel André.

Com idealização dos arapiraquenses, mas que nasceram em outros municípios, Eli Mário Magalhães, nascido em Lajedo, Pernambuco, e Manoel Ferreira Lira, nascido em Feira Grande, “Memória Viva de Arapiraca” pretende contar como se deu a participação, no desenvolvimento socioeconômico e cultural, de ilustres personalidades acolhidas pela cidade quando aqui chegaram, e que fizeram as históricas estórias da Terra do Fumo. São pessoas que se integraram aos arapiraquenses e que deram contornos aos modos da comunidade Agrestina arapiraquense de Alagoas, irmanados com os filhos nativos da cidade.

Todo o projeto é fruto de pesquisas documentais feitas pelos seus idealizadores, Eli Mário Magalhães e Manoel Lira, filhos adotivos arapiraquenses, e em parceria com o Jornal de Arapiraca, irá apresentar uma faceta da história de Arapiraca, nunca antes contada e editada.

Referências:

1.            ARAPIRACA ATRAVÉS DOS TEMPOS, Zezito Guedes, p. 19, 20, 21, edição de 1999;

2.            RAÍZES E FRUTOS DE ARAPIRACA, Valdemar Oliveira de Macedo, 1992, composto e impresso       

              nas oficinas gráficas da Gazeta de Alagoas Ltda;

3.            ARAPIRACA NA HISTÓRIA DE ALAGOAS, vols. I e II, em pdf, Valdemar Oliveira de Macedo,

              1994;

4.            NOSSA TERRA E NOSSA HISTÓRIA, vols. I e II, em pdf, Valdemar Oliveira de Macedo, 1998;

5.            DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO, 31/5/1924, primeira página;

6.            DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO, 18/10/1924, segunda página;

7.            GENEALOGIA DA FAMÍLIA PEREIRA DA RIBEIRA DO PAJEÚ, Juarez Pereira Valões, edição 2015,    

              Imprensa Oficial Graciliano Ramos;

8.            ARAPIRACA ATÉ HOJE, Valdemar Oliveira de Macedo, 2009, Gráfica e Editora Santa Rita.

A seguir três personalidades que marcaram época, como exemplos dos conteúdos;

 

Joaquim Bezerra Pereira (1906/1973)

                Era um homem de visão, instalando em Arapiraca a primeira bomba de gasolina. Durante a 2ª Guerra Mundial, devido a escassez do produto, vendeu álcool para abastecer os carros da época. Era a USGA (Usina Serra Grande). Foi vereador pela UDN e autor do projeto de criação da Casa dos Velhinhos.

Letícia Barbosa (1930/2005)

                Nascida no sítio Mocó, mesmo comerciante na praça Manoel André, enveredou na política, tendo sido a primeira mulher eleita vereadora de Arapiraca, em 1958. Fazia parte do PSD juntamente com Luís Pereira Lima. Foi autora do projeto de lei criando a Biblioteca Municipal.

José Marques da Silva (1924/1957)

                Médico formado na Universidade da Bahia, e oriundo de Canudos (hoje Belém, Alagoas), chegou a Arapiraca em 1954 trazido pelo político Rui Palmeira. Foi eleito pela UDN o deputado estadual mais votado do estado. Foi assassinado, em 1957, em frente sua casa. Os assassinos, em 1970, foram condenados. O(s) autor(es)

Intelectual(is) ficaram impunes.

O projeto prevê a edição de dois suplementos quinzenais, que ao final dos fascículos, serão transcritos em livro a ser editado e lançado em todo o estado de Alagoas.

Farão parte dos fascículos, memórias que marcaram a vida da capital do Agreste tanto na política como na atividade econômica, educacional e cultural de Arapiraca.

Aguardem

Foto: Arquivo
Foto: Arquivo
Foto: Arquivo


Compartilhe