Política

Pai, perdoa-o, pois ele não sabe o que faz ou diz!


Carlo Bandeira
Fonte: Redação

23/05/2019 11h45

Vinte sete anos após Fernando Color de Mello pedir a presença do povo nas ruas, para defender seu governo, e que teve como resposta a manifestação dos “Caras Pintadas”, que deu início à derrocada de seu mandato, Jair Messias Bolsonaro, convoca manifestação popular em favor de suas propostas de governo, que parece mais desgoverno. Assim, expressam-se aliados e partidários dele próprio, do presidente Messias Bolsonaro.
Janaína Paschoal, deputada estadual por São Paulo, pelo PSL de Bolsonaro, o pai, manifestou-se pelo que postou, em sua rede social, o mandatário do Executivo Nacional.
Após a sua manifestação, Janaina saiu do grupo de whatsapp do PSL. Antes, havia também mandando um áudio criticando Bolsonaro por ter postado domingo, no Facebook, um vídeo do pastor congolês Steve Kunda defendendo o presidente como um político “estabelecido por Deus” para guiar o país. “Eu peço que vocês assistam e respondam: ‘O senhor, um presidente da República, na plenitude de suas faculdades mentais, publicaria um vídeo desses”? , afirmou Janaina, no áudio, de acordo com a Rádio Jovem Pan.
Criticado até por correligionários, o Presidente da República Federativa do Brasil, agora está messianicamente convencido que representa a vontade divina, aqui neste País.
Com essa ilusória certeza, Bolsonaro, o pai, espera no dia 26 próximo, a sua redenção. Conclamando os “bolsomínios” para uma manifestação ao estilo Collor de Mello.
Messias Bolsonaro não está na grade dos libertadores celestiais, podendo ficar sozinho nessa empreitada de sua comparação com o verdadeiro Messias, filho do Pai eterno.
Sua tão propalada política pública, desagua num desgoverno altivamente soletrada por seus fiéis seguidores arrependidos ou desorientados pela “incapacidade de governar”, palavras proferidas por ele mesmo.
“Não nasci par ser presidente, nasci para ser militar”, disse como quem afirmasse algo que acalantaria o desespero dos brasileiros. Brasileiros que estão perdendo a Educação, a previdência, sobretudo, perdendo a esperança, esperança que parece ter se esvaído pelos dedos da nação.
Esperemos a resposta das crianças, das ruas, dos incrédulos e dos que ainda acreditam na missão do Messias Bolsonaro. Como militar, saído da Academia Militar das Agulhas Negras, não galgou posto superior ao de Capitão, onde poderia ter chegado ao generalato, aposentando-se, bem cedinho.
Se ele não conseguiu maiores promoções entre os militares, por que se entende divino?
Pai, perdoai, pois ele não sabe o que faz ou diz!

 



Compartilhe