Política

Respeito a parceiros é marca da Tribuna


Fonte: Tribuna Independente / Lucas França e Rívison Batista

10/07/2019 08h26

Jornalismo feito com responsabilidade e com respeito a todos os alagoanos são características lembradas pelos parceiros. Nesses 12 anos, O jornal Tribuna Independente conquistou muitos parceiros que acreditam e afirmam a importância do jornalismo feito com independência e credibilidade para os alagoanos.

Representantes de entidades não governamentais, sindicatos, secretários municipais, empresas públicas e privadas ressaltam a importância do jornal para a sociedade.

A vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Valdice Gomes, relembra a história de luta da Tribuna. “Tem que enaltecer a história de resistência que o jornal Tribuna carrega. Principalmente porque é um veículo que respeita o direito do leitor, pois nem todos estão preparados para novas tecnologias. Manter o jornal impresso diário para esses leitores é muito louvável.“

Valdice relembra ainda a cobertura que a equipe da Tribuna fez durante a greve dos jornalistas alagoanos. “A Tribuna foi um dos veículos fundamentais para a visibilidade da luta, ela contribuiu para que tivéssemos o apoio da sociedade. Vivemos momentos obscuros, vários direitos ameaçados e o jornalismo independente é a garantia. Temos que agradecer a existência do grupo, merece nossos aplausos. O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas (Sindjornal), Izaías Barbosa também parabeniza a qualidade produtiva Tribuna. “Com um jornalismo independente quem ganha é a sociedade, porque vai receber os fatos como eles são e não com a parcialidade da linha editorial da média. E por não ter a ligação e interesses das grandes mídias, geralmente vinculadas a políticos tradicionais ou grandes empresários, o veículo de comunicação independe servirá como instrumento de divulgação dos problemas e busca de soluções para as comunidades mais carentes’’.

“O jornal Tribuna Independente chega ao seu décimo segundo aniversário e traz, diariamente, o compromisso de informar com qualidade, isenção e precisão. Vida longa ao jornal diário”, disse o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Alagoas (Sintufal) José Marcos Gomes.

“Sem imprensa livre não há democracia. O Brasil, hoje, vive momentos obscuros, em que o jornalismo feito com independência sofre tentativas de cerceamento, inclusive de esferas de poder da área da Justiça. Ao completar 12 anos de existência, a Tribuna Independente reafirma sua prática de jornalismo corajoso, mas responsável, ético e compromissado com os anseios da população. O Sinteal parabeniza todos os companheiros que fazem a Tribuna Independente, desejando que este jornal continue sua importante missão de investigar e informar com a qualidade de sempre’’, afirma a presidente do Sinteal, Consuelo Correia

O presidente do Sindicato dos trabalhadores da Saúde, Previdência, Seguro Social e Assistência Social (Sindprev/AL), Célio dos Santos, disse que a entidade sindical defende a organização dos trabalhadores em todos os níveis. ‘’A criação da Cooperativa dos Jornalistas e Gráficos (Jorgraf) representou a redenção de inúmeros trabalhadores, que haviam sido abandonados pela incompetência dos chamados patrões. Esses jornalistas e gráficos tomaram para si seus destinos, edificando a mais linda história de luta e resistência da classe trabalhadora em Alagoas. Parabéns aos que fazem a Tribuna Independente, parabéns à Cooperativa dos Jornalistas e Gráficos pelos seus 12 anos de resistência’’.

Gráficos exaltam os 12 anos da cooperativa

 

A Cooperativa dos Jornalistas e Gráficos de Alagoas (Jorgraf) está completando 12 anos e o setor gráfico demonstra a satisfação de fazer parte dessa história. Mas os gráficos da cooperativa relembram que o caminho não foi fácil. Nascida de uma paralisação de jornalistas – parecida com a que houve há pouco tempo também em Alagoas – a Jorgraf é marcada por árduas lutas, que resultaram em mais de 10 anos de sucesso.

“Nossa história é feita de sacrifícios e vitórias. Há um tempo, passamos por uma grande dificuldade. Nossa rotativa [máquina que imprime o jornal] foi à leilão por conta de dívidas antigas. Nós mesmos arrematamos e foi um momento decisivo para a cooperativa, pois é a nossa principal ferramenta de trabalho”, relembra o coordenador industrial da cooperativa, Alexandre Moreira.

Segundo Alexandre, a Jorgraf, atualmente, conta com 30 gráficos. Relembrando o período de formação da cooperativa, o coordenador industrial afirma que, no início, houve uma greve na antiga Tribuna de Alagoas que teve o objetivo de protestar contra salários atrasados. “A partir disso, rodávamos o jornal para divulgar nossa paralisação. Por causa de momentos como esse, nós [gráficos e jornalistas] começamos a aprender a administrar os recursos e tivemos a ideia de desenvolver a Jorgraf. A gente saiu de um movimento grevista em 2007, reivindicando salários atrasados para chegarmos em 2019 vitoriosos, com a união das duas categorias”, relembra. Alexandre destaca que o primeiro ano da cooperativa foi difícil. “A Tribuna de Alagoas fechou e ainda existiam assinantes. Aos poucos, conseguimos trazer os antigos assinantes para a Tribuna Independente”, diz.

LUTA DE 12 ANOS

O gráfico responsável pela máquina CTP (que é onde as chapas do jornal são gravadas e reveladas), José Cícero, diz que o ambiente de trabalho no parque gráfico da Jorgraf é organizado. Orgulhoso da profissão, Cícero possui na sua sala, além da CTP, a máquina reveladora de chapas e também a furadora de chapas. “Depois de revelar e furar, a chapa vai para a impressão na rotativa”, explica.

Já o gráfico Bonifácio Oliveira afirma que a Jorgraf representa muito para o profissional da área gráfica. “Fico honrado de trabalhar na Tribuna, que é, na minha opinião, a número um em Alagoas na área. Enquanto vemos, com tristeza, algumas gráficas em situação difícil e colegas de outras empresas passando dificuldades, nós estamos aqui”, diz.



Compartilhe