Política

A FORÇA DO COMÉRCIO DURANTE A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL


ROBERTO BAÍA E CARLO BANDEIRA
Fonte: Elimário Magalhães E Manoel Lira

29/08/2019 15h08

 A USGA

Primeira bomba de combustível (fins dos anos 40)

 

A primeira bomba de combustível de Arapiraca foi obra do palmarino  Joaquim Bezerra Pereira e sua mulher, Aurília Vieira. Instalada nos idos dos anos 40, em plena 2a. Guerra Mundial, os proprietários foram obrigados a substituir o combustível, a gasolina, por um produto que continha álcool, cujo produtor era a Usina Serra Grande, de Alagoas (a USGA é o etanol de hoje, com poucas modificações). Daí o nome; Joaquim da USGA. Essa primeira bomba estava instalada na calçada de sua residência, na antiga praça Gabino Besouro, posteriormente praça Marques da Silva, e era movimentada manualmente.

 

Posto São Joaquim

Depois da guerra, já nos anos 50, como vertiginoso crescimento de Arapiraca, o vendedor de USGA inaugurou novas instalações de suas bombas de combustíveis, agora já elétricas. Quase em frente à sua residência, surgiu o Posto São Joaquim, o mais moderno do interior de Alagoas, mais precisamente no Largo Dom Fernando Gomes.

 

 

Homem de visão Joaquim Bezerra Pereira (1906/1973)

 

Companheiro inseparável de sua mulher, Aurília Vieira, foi o primeiro proprietário de um posto de gasolina, no local onde hoje é a praça Marques da Silva. Durante a 2a. Guerra Mundial, com a escassez de gasolina, trouxe da Usina Serra Grande (AL) um novo combustível para abastecimento dos poucos veículos existentes: era a USGA, produto à base de álcool. Durante 25 anos comercializou o produto, inclusive com transporte próprio. Foi vereador de Arapiraca pela antiga UDN – União Democrática Nacional, e era correligionários dos Lúcio (João e José Lúcio), e amigo do médico e deputado José Marques da Silva. Foi autor do projeto de criação da Casa dos Velhinhos de Arapiraca.

 

Política e empresária

Aurília Vieira Pereira

(1928/1996)

 

 É de Mata Grande (AL), de onde saiu com três anos de idade para Palmeira dos Índios (AL). Alí, conheceu Joaquim Bezerra Pereira com quem veio a se casar em 1947. Após, veio morar em Arapiraca, onde, juntamente com seu marido, desenvolveu diversas atividades, inclusive sendo a primeira mulher arapiraquense a dirigir um automóvel. Daí, para dirigir um caminhão (com combustível) e comercializar pelos municípios vizinhos, foi rápido. Sempre junto com o esposo, abriram loja de autopeças, o “Hotel Magistral” (na praça Gabino Besouro, depois Marques da Silva). Possuiu até uma empresa de ônibus, em Maceió (Auto Viação Pajuçara).

Depois, em Arapiraca, com a empresa de ônibus transferida para cá, fundou a linha Arapiraca/Canaã/Lagoa do Rancho/Arapiraca.

Candidata a vereadora, em 1960, ficou como suplente. Depois, apoiou seu marido, que foi eleito. Por tudo, é nome de rua no bairro Eldorado, em Arapiraca.

Foto: Arquivo
Foto: Arquivo
Foto: Arquivo
Foto: Arquivo


Compartilhe